Deputada do PSOL que ajudou ativista será investigada

Janira Rocha será investigada pelo crime de favorecimento pessoal por ter ajudado a advogada Eloisa Samy

Rio – A deputada estadual Janira Rocha (PSOL) será investigada pelo crime de favorecimento pessoal por ter ajudado a advogada Eloisa Samy, de 45 anos, a deixar o Consulado do Uruguai, depois que aquele país negou asilo político à ativista.

Eloisa teve a prisão temporária decretada em processo sobre protestos violentos.

Ela, o filho adotivo David Paixão, de 19 anos, e a namorada dele, Camila Nascimento, saíram do consulado pela garagem, no carro oficial da deputada.

Do lado de fora, policiais militares, em três carros, aguardavam com a orientação de prender Eloisa assim que ela deixasse o local.

A Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) fez um registro de ocorrência, que será encaminhado à presidência da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) e ao Tribunal de Justiça, já que a deputada tem direito a foro privilegiado.

A polícia também requisitou as imagens do sistema de segurança do prédio em que fica o consulado, na Praia de Botafogo, na zona sul.