Demissão de Geddel é para proteger Temer, diz Lindbergh

"Sua demissão não pode servir para abafar o envolvimento de Michel Temer, que também tem que responder pelos seus erros", afirmou o líder da oposição

Brasília – O líder da oposição, Lindbergh Farias (PT-RJ), rechaçou a demissão do ministro Geddel Vieira Lima após agravamento da crise com o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que também denunciou sofrer pressão do presidente Michel Temer.

De acordo com Lindbergh, a demissão de Geddel é uma tentativa de proteger o presidente.

“A demissão de Geddel não é solução para essa crise. Geddel tem, sim, que ser demitido pelas acusações que sofreu, mas sua demissão não pode servir para abafar o envolvimento de Michel Temer, que também tem que responder pelos seus erros”, afirmou.

De acordo com o líder da oposição, Temer defendeu interesses privados e também tem parte na crise denunciada por Calero.

Lindbergh se reuniu nesta sexta-feira, 25, no plenário do Senado com outros apoiadores da ex-presidente Dilma Rousseff, como a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Roberto Requião (PMDB-PR).

Os senadores discutiram as notícias relacionadas ao caso Geddel e as eventuais punições para o ministro e o presidente.