Delegada da Lava Jato encabeça indicação para diretor da PF

Também na lista tríplice eleita pela ADPF estão o delegado Rodrigo Teixeira e Marcelo Freitas, ambos de Minas Gerais

São Paulo – A delegada Érika Mialik Marena, uma das responsáveis pela condução da Operação Lava Jato em Curitiba, foi a mais votada por seus pares entre os candidatos a diretor-geral da Polícia Federal. Para a liderança, a delegada recebeu 1.065 votos de colegas de todo o Brasil.

Também na lista tríplice eleita pela Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) estão os delegados Rodrigo Teixeira (924 votos) e Marcelo Freitas (685 votos), ambos de Minas Gerais. Ao todo foram nove candidatos, todos em atividade e ocupando a última classe da carreira.

Até a primeira quinzena de junho, a lista será entregue ao presidente em exercício Michel Temer (PMDB) que define quem ocupará o atual posto de Leandro Daiello. O diretor deve deixar o cargo após as Olimpíadas.

Não há obrigação em indicar a delegada, mas, ao menos durante os governos de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Dilma Rousseff (PT), abriu-se uma convenção de nomear o mais votado. Assim, Érika pode ser a primeira mulher a comandar a PF.

O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (31), em coletiva de imprensa da ADPF, na sede da associação, em Brasília.