Delator revela ‘delivery’ de propina ao PMDB, diz revista

O empresário e advogado Felipe Rocha Parente informou o esquema de desvio de parte dos recursos da Petrobras para senadores, segundo a revista Veja

São Paulo – O empresário e advogado Felipe Rocha Parente, um dos delatores da Lava Jato, informou em depoimentos sigilosos prestados à Procuradoria-Geral da República todo o roteiro do esquema de “delivery” de parte dos recursos – como, quando, onde e senha – desviados da Petrobras para os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL) e Jader Barbalho (PMDB-PA), segundo a revista Veja.

No caso de Renan, o código para a entrega da propina era “Lua”. A revista Época também trata da delação de Parente em sua edição desta semana.

O empresário se apresentou à força-tarefa como entregador de propina do PMDB. De acordo com a publicação, as declarações dele permitiram aos procuradores aprofundarem as investigações sobre o braço peemedebista no esquema de corrupção da Petrobras.

O PMDB tinha o comando da Transpetro, uma subsidiária da estatal presidida na época por Sérgio Machado, e cobrava um porcentual sobre todos os contratos de prestação de serviços da empresa. Em dez anos, de acordo com a reportagem, foram arrecadados R$ 100 milhões em propina e somente Renan teria ficado com R$ 32 milhões.

Parente declarou que os valores eram entregues a um intermediário do Senado, quase sempre em encontros marcados em hotel discreto ou restaurante, no Rio de Janeiro. Uma das intermediárias, de acordo com a revista, era Iara Jonas, que trabalha no Senado e estava lotada no gabinete do senador paraense há 22 anos.

Procurado pela revista, Renan negou ter recebido “valores de quem quer que seja e que a chance de se encontrar irregularidade em suas contas pessoas ou eleitorais é de zero”. Renan disse que desconhece o delator Parente. O senador Barbalho também negou ter recebido propina da Transpetro. Iara Jonas não foi localizada.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luís Marcelo Alves Ramos

    Abril account ? Pronto! Ferramenta para poderem “caçar” quem faz crítica !? Você posta algo e já tem político, artista e ministro do STF te processando.

  2. ViP Berbigao

    O Senador Pedro Simon e o Senador Renan Calheiros são contemporâneos. Embora com mesmo salário o primeiro nunca ficou rico, já o segundo??? Quanta diferença! E até hoje ninguém desconfia de nada, principalmente os nossos queridos ‘essenciais’ MP e STF.