Defesa quer que irmão de Dirceu cumpra pena próximo da família

Moro determinou que o irmão do ministro fosse enviado para a capital do Paraná, berço da Lava Jato

São Paulo – A defesa de Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, que foi preso nesta sexta-feira, 9, após ordem do juiz federal Sérgio Moro, na Operação Lava Jato, se manifestou sobre a detenção. Oliveira e Silva é irmão do ex-ministro José Dirceu – já condenado na operação.

A advogada Paula Indalecio, que defende Oliveira e Silva, informou que vai requerer ao juiz Sérgio Moro que o irmão do ex-ministro fique em Ribeirão Preto (SP), perto da família. A defesa vai entrar com um habeas corpus para discutir a prisão perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Moro determinou que o irmão do ministro fosse enviado para a capital do Paraná, berço da Lava Jato. “Autorizo desde logo a transferência para o sistema prisional em Curitiba, Complexo Médico Penal, ala reservada aos presos da Operação Lava Jato”, escreveu.

Em maio de 2016, Moro condenou Luiz Eduardo de Oliveira e Silva a oito anos e nove meses de reclusão por lavagem e pertinência à organização criminosa. O corretor de imóveis recebeu 8 anos de prisão por lavagem e pertinência à organização criminosa.

Em 2ª instância, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) aumentou a pena do irmão do ex-ministro. Ele pegou dez anos, seis meses e vinte e três dias de reclusão, em regime inicialmente fechado.

Veja também