Defesa de Aécio diz que “cx 2” não é indício de ilegalidade

A PF encontrou a inscrição em anotações do material apreendido no gabinete e na residência do senador afastado

Brasília – Após a Polícia Federal informar ter encontrado a inscrição “CX 2” em anotações do material apreendido na busca e apreensão no gabinete e na residência do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG), a defesa do tucano alegou que inscrição não é indício de ilegalidade.

“Asseguramos que uma eventual referência a CX 2 não significa qualquer indício de ilegalidade”, afirma nota do advogado Alberto Zacharias Toron.

A inscrição poderia indicar alguma referência a Caixa 2.

A defesa do senador também lamentou no mesmo texto que “citações sem qualquer informação real” sobre a que se referem tenham sido divulgadas por agentes da investigação em curso.