Dados abertos nas capitais são incompletos e desatualizados

Segundo o Índice de Dados Abertos, muitas cidades ainda pecam na usabilidade quando disponibilizam dados sobre educação, transporte e propriedade

Um índice de dados abertos das cidades brasileiras mostrou que os dados fornecidos à população estão incompletos ou não são transparentes. Elaborado pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getulio Vargas, em parceira com a Open Knowledge Brasil, o Índice foi publicado na semana passada.

Embora alguns dados estejam adequados aos padrões internacionais, muitas cidades ainda escorregam quando disponibilizam dados sobre educação, transporte e propriedade da terra, por exemplo. Segundo o índice, os principais problemas nos dados fornecidos aos cidadãos, à mídia e à sociedade civil são de usabilidade e de processo, reiterando a necessidade de bases de dados mais adequadas ao uso dos dados e transformação destes em informação, para além da publicização.

Como a análise parte da premissa que o governo tem um papel central na publicação de dados, os resultados podem ser um alerta para os candidatos às eleições deste ano, e mais um tema para entrar em suas campanhas.