Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

ÀS SETE - A defesa de Temer terá acesso aos dados das quebras de sigilo dele somente após cumpridas as diligências autorizadas no inquérito dos portos

Barroso autoriza acesso a Temer

O ministro Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta terça-feira que a defesa do presidente Michel Temer terá acesso aos dados das quebras de sigilo dele somente após cumpridas as diligências autorizadas por ele no chamado inquérito dos portos. Barroso havia autorizado as quebras dos sigilos bancário e fiscal de Temer no inquérito que investiga se o presidente cometeu os crime de corrupção passiva e lavagem de dinheiro sob a suspeita de ter recebido propina para beneficiar os interesses do grupo Rodrimar na edição de um decreto ano passado que mudou regras portuárias.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Morre Stephen Hawking

Stephen Hawking, o físico genial que apresentou as maravilhas e os mistérios da ciência a milhões de leitores e desenvolveu estudos pioneiros sobre o universo, morreu nesta quarta-feira, aos 76 anos, em sua residência em Cambridge, na Grã-Bretanha. Hawking sofria desde os 21 anos de idade de uma doença degenerativa chamada esclerose lateral amiotrófica (ELA), que paralisou seus movimentos e até sua voz, confinando-o a uma cadeira de rodas pelo resto da vida – mas que não limitou seu brilhantismo e sua curiosidade, que o impulsionaram até o fim a buscar respostas para as grandes questões da ciência.

Starbucks no Brasil troca de mãos

A rede de cafeteria Starbucks no Brasil foi comprada pelo fundo de investimentos SouthRock nesta terça-feira. Com isso, a rede passa a operar por meio de um parceiro licenciado no país, assim como acontece em outros países da América Latina e Caribe. O fundo, que administra 100 milhões em investimentos, foi fundado em 2015 por Kenneth Pope e tem sede em São Paulo. Em 2016, o grupo fez ofertas ao Eataly e ao supermercado St. Marche. O valor da aquisição não foi revelado, mas a SouthRock afirmou que vai investir 1 milhão de dólares para impulsionar seu impacto social, como o programa de educação gratuito Starbucks Global Academy.

BRF processada nos EUA

Acionistas dos Estados Unidos decidiram processar a companhia de alimentos BRF. Segundo a denúncia, apresentada na noite de segunda-feira à Corte Distrital de Manhattan, o maior exportador de aves do mundo teria ocultado seu envolvimento em fraudes quanto à análise sanitária de produtos alimentícios, o que culminou na prisão do ex-presidente da companhia. O autor da denúncia, Ryo Nakamura, que representa detentores de American Depositary Receipts (ADRs), afirmou que a BRF, o ex-presidente Pedro Faria e outros funcionários inflaram artificialmente o preço das ações da empresa brasileira, enganando acionistas sobre suas operações e práticas de conformidade. Os ADRs da BRF fecharam em 7,59 dólares em 5 de março, uma queda de 19% em um dia, após Faria ser preso e a Justiça determinar a prisão de outras dez pessoas.

STF aceita denúncia contra Romero Jucá

A primeira turma do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou nesta terça-feira, por unanimidade, denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal (MPF) contra o senador Romero Jucá (MDB-RR) pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, a partir do recebimento de propina da Odebrecht. Com isso, o senador passa a figurar como réu no STF. O presidente do MDB é o primeiro réu em decorrência das delações da empreiteira, homologadas há um ano e dois meses pela presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia. Jucá foi delatado pelo ex-diretor de Relações Institucionais da empreiteira Claudio Mello Filho. Segundo o executivo, a Odebrecht fez, em 2014, uma doação eleitoral oficial de 150.000 reais ao diretório regional do MDB em Roraima, ao mesmo tempo que discutia com o senador a aprovação, no Congresso Nacional, de duas medidas provisórias (MPs) que beneficiariam a empresa.

TRF-4 nega recurso de Lula

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou nesta quarta-feira, por unanimidade, um pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para suspender uma decisão do juiz federal Sergio Moro sobre o uso de provas relativas ao sistema Drousys, utilizado para o gerenciamento de propinas da Odebrecht. A 8ª Turma confirmou a decisão liminar proferida pelo desembargador federal João Pedro Gebran Neto em dezembro do ano passado. Em primeira instância, Sergio Moro havia autorizado o espelhamento (cópia) de material ligado ao sistema Drousys, encaminhado pela autoridade suíça em ação penal que atribui supostas propinas da empreiteira ao petista. A defesa de Lula alegava que a prova teria sido juntada depois do encerramento da instrução penal, que não poderia ter sido admitida documentação nova para exame pericial.

Perto da prisão, Lula fala em consertar o país

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva concedeu na manhã desta terça-feira uma entrevista à rádio paranaense Cultura Foz, na qual voltou a criticar o processo que pode levá-lo à cadeia. Para reforçar a ideia de que tem sido vítima de uma perseguição política, Lula afirmou que se considera “um inocente condenado”. Sobre o caso do tríplex no Guarujá (SP), o petista afirmou que foi punido com base em mentiras e voltou a criticar o juiz federal Sergio Moro. Lula afirmou ainda que a ação busca impedir sua candidatura à Presidência da República. E, mesmo com a iminente prisão, manteve o discurso de candidato: “Quero ter a chance de poder provar que posso consertar este país”. O próprio Partido dos Trabalhadores acredita fortemente na possibilidade da prisão do ex-presidente ainda antes da Páscoa.

Parte dos sindicatos suspende greve dos Correios

Após o entendimento do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de que os trabalhadores dos Correios poderão ter cobrança de mensalidade em planos de saúde, os sindicatos de Acre, Espírito Santo, Maranhão e Mato Grosso do Sul decidiram suspender greve iniciada na noite do último domingo. A previsão é que as atividades sejam retomadas hoje, mas o estado de greve permanece, segundo informações da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect). O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Rio de Janeiro (Sintect-RJ) decidiu em assembleia na manhã desta terça-feira manter a greve e fazer nova reunião na quinta. Os funcionários de São Paulo, região metropolitana de São Paulo e zona postal de Sorocaba (Sintect-SP) se posicionarão na quarta.

Trump demite Tillerson

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump anunciou, nesta terça-feira, a demissão do secretário de Estado Rex Tillerson. Em seu lugar, foi nomeado Mike Pompeo, atual diretor da CIA, a agência de inteligência americana.
Como de praxe, Trump anunciou a troca pelo Twitter. “Ele [Pompeo] fará um trabalho fantástico! Obrigado a Rex Tillerson por seu serviço! Gina Haspel se tornará a novo diretora da CIA, e a primeira mulher a ser escolhida. Parabéns a todos!”, escreveu o presidente. Gina chefiou operações em prisões secretas onde detentos eram torturados, segundo informou o jornal americano The Washington Post.

Rússia responde a Reino Unido

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse, nesta terça-feira, que Moscou só responderá ao Reino Unido sobre o envenenamento do ex-espião Sergei Skripal quando Londres “cumprir suas obrigações”. Segundo o ministro, a Convenção de Armas Químicas prevê que o governo britânico tem de entregar uma amostra da substância que supostamente foi utilizada. Ontem, a primeira-ministra britânica, Theresa May, assegurou no Parlamento de seu país que é “altamente provável” que a Rússia seja responsável pelo envenenamento de Skripal e deu um ultimato em Moscou para que apresente até hoje uma explicação. Skripal e sua filha permanecem em estado crítico desde o dia 4 de março, quando foram achados inconscientes em um banco de um parque em Salisbury, no sul da Inglaterra. O ministro russo ainda afirmou que a parte supostamente envolvida em ter produzido tal substância “se reserva o direito a ter acesso” para poder analisá-la. Lavrov também afirmou que a Rússia reivindicou o acesso a todos os materiais da investigação, de acordo com a Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas, mas lhe foi negado.