Cunha se recusou a fazer exame para comprovar aneurisma

Cunha disse ter um aneurisma cerebral e relatou que não há condição de tratamento médico no presídio onde está detido

Curitiba – O ex-deputado Eduardo Cunha se recusou a fazer exames médicos nesta quarta-feira, 8, segundo relato do diretor do Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen), Luiz Alberto Cartaxo.

A informação foi gravada em áudio pelo diretor, que deve detalhar o caso em coletiva de imprensa ainda no período da tarde.

Na terça-feira, 7, em audiência com o juiz Sérgio Moro, Cunha disse ter um aneurisma cerebral e relatou que não há condição de tratamento médico no presídio onde está detido.

De acordo com advogados do peemedebista, a família do ex-deputado tem exames médicos que comprovam a situação e serão entregues à Justiça.

Nesta quarta, o Depen pretendia fazer exames médicos para comprovar a doença, mas Cunha não quis se submeter aos procedimentos.

Cartaxo relata que o ex-deputado informou ao corpo médico do Complexo Médico Penal (CMP) em 21 de dezembro possuir a doença, mas não encaminhou os exames relativos ao diagnóstico do aneurisma.

De acordo com Cartaxo, tudo será relatado ao juiz Sérgio Moro, responsável pela ação penal na qual Cunha é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas por suposto recebimento de propina relativo a um negócio da Petrobras na África e manutenção do dinheiro em contas secretas na Suíça.

Moro poderá fazer a determinação pela realização de exames médicos, caso a defesa protocole pedido de liberdade ou prisão domiciliar em razão da doença.

Até agora, no entanto, o pedido de revogação da prisão preventiva de Cunha feito por seus advogados não usou esse fundamento.

Até a manhã desta quarta, a defesa do advogado não havia sido comunicada da intenção do Depen de submetê-lo a exames médicos.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ovidio Netto

    CARTA DE UM MÉDICO DESCONHECIDO A UM MÉDICO CONHECIDO

    Prezado Dr. Roberto Kalil,

    O senhor não me conhece, trabalho nos confins do Brasil, não sou conhecido por ninguém e passei (e passo) toda minha vida atendendo gente pobre. Para desespero da Organização Criminosa, não sou petista. O senhor, por outro lado, é um dos médicos mais famosos do Brasil: tem dinheiro, está cheio de pacientes, casou-se com uma colega e fez a festa no restaurante mais caro de São Paulo. Atende a nata da classe mais corrupta do nosso País – os políticos. Escrevo para perguntar o seguinte:
    – Por que?? Qual o motivo para o senhor vir a público ajudar a destruir a vida de mais uma colega? Uma médica que, com 31 anos de idade, estava começando na vida profissional. O senhor sabe que os médicos trabalham sem segurança, sem equipamentos, sem meios de diagnóstico…Trabalham humilhados por profissionais que (para desgosto das verdadeiras enfermeiras do Brasil) se dizem “enfermeiras” e nada mais são do que militantes petistas fanáticas. Os médicos tem seus salários atrasados, apanham dos pacientes, foram apresentados, à população brasileira, como bandidos por Dilma Rousseff..O senhor sabe que a tomografia de Marisa Letícia já estava na internet, sabe que ela foi feita em São Bernardo do Campo; não no Sírio Libanês…O senhor sabe que Marisa chegou praticamente morta no “seu” Hospital…
    Por que, pergunto eu, o senhor veio a público dar razão para gente do nível moral de Cláudia Collucci? Uma recalcada…uma infeliz da Folha de São Paulo que, fazendo o serviço sujo do PT, vinga-se do fato de jamais ter conseguido ser médica… Por que o senhor ajudou a destuir a vida de Gabriela Munhoz, doutor?? É mais fama que o senhor precisa? O senhor já não é famoso o suficiente??
    Pergunto o seguinte: mesmo tendo poder de demitir a colega sem precisar dar explicações a ninguém, o senhor não podia esperar? Não podia manter Gabriela nos quadros do Hospital e responder: “vamos aguardar o que diz o CREMESP”???
    O senhor acredita que os demais médicos do Brasil pensam que o senhor fez o que fez em defesa da “ética e do Juramento de Hipócrates” ?? O senhor, a UNIMED São Roque, foram cobrados por uma Organização Criminosa disfarçada de Partido Político e resolveram, para ficar bem com ela, entregar a imagem de mais dois colegas (Gabriela e Richam) aos patifes, a estes verdadeiros vermes petistas da Imprensa do Brasil !
    O senhor sabe que o whatsapp de Gabriela foi invadido por gente do PT, o senhor sabe que foi a privacidade das comunicações DELA, não de Marisa Letícia, que foi violada…
    O que move o senhor a fazer esse tipo de coisa, Dr. Kalil?? Dinheiro e fama o senhor já tinha !
    O senhor já parou para pensar na imagem que passa a ter agora entre os seus colegas? A imagem entre os verdadeiros médicos brasileiros???
    A imprensa brasileira apresentou Gabriela como médica que colocou na internet (é diferente de compartilhar) os exames de Marisa Letícia. O senhor sabe que as imagens partiram do jornalista Cláudio Tognolli: por que o senhor apresentou Gabriela como a fonte primária de tudo? O senhor tem a prova??
    O senhor sabe que Gabriela NÃO foi médica de Marisa Letícia, que não lhe prestou atendimento…Por que está dizendo que houve “quebra de sigilo”?? E os demais médicos do Brasil, Dr.Kalil, seus colegas que também compartilharam a tomografia??? Eles também devem ser processados e punidos como o senhor quer?? Eu mereço ser punido por ter a “audácia” de lhe escrever esta carta, Dr.Kalil??
    A imagem profissional da Gabriela está destruída…O senhor saiu como “herói”…(por enquanto)
    Mas o mundo gira, Dr. Kalil, nada como um dia depois do outro…

    7 de fevereiro de 2017