Cunha critica não poder discutir fim de relação com PT

Eduardo Cunha criticou o fato de não poder ter discutido o rompimento com o PT no congresso do PMDB

Brasília – O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), criticou no final da tarde desta terça-feira, 17, o fato de não poder ter discutido o rompimento com o PT no congresso do PMDB, como desejava.

“Foi positivo por um lado, o lado que o PMDB apresentou o programa, que o PMDB tem uma agenda e está discutindo esta agenda. Negativo por outro lado porque aqueles que queriam discutir o fim da relação com o PT não puderam discutir. Não era o fórum apropriado e não tinha o viés deliberativo de ser terminativo. De uma certa forma, inibiu este debate”, afirmou.

Cunha também comentou as vaias de que foi alvo no encontro. Disse que a manifestação

contrária partiu de um pequeno grupo. “Vi quatro pessoas que estavam no movimento de briga de impeachment que falaram e soltaram uma vaia. Normal. Depois fui aplaudido. Havia uma manifestação específica. Não vi essa vaia toda, não. Vi uma pessoa levantar e gritar. Não ouvi essa vaia do plenário que vocês falam”, afirmou o presidente da Câmara.

Antes de entrar no plenário da Câmara, Cunha foi alvo de protesto de representantes da Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo e a Violência. Elas gritaram “Fora, Cunha!”. A manifestação ocorreu após elas serem convidadas a encerrar sessão especial que debatia o assunto da marcha e deixar o plenário.