Cruz Vermelha Brasileira desviou R$ 2,3 milhões, diz jornal

Valor seria usado para socorrer as vítimas da crise na Somália, do tsunami no Japão e das enchentes da região serrana do Rio

São Paulo – A Cruz Vermelha do Brasil desviou ao menos R$ 2,3 milhões arrecadados em três campanhas humanitárias, segundo matéria publicada no jornal Folha de S. Paulo desta sexta-feira.

Segundo a publicação, as doações desviadas deveriam socorrer as vítimas da crise na Somália, do tsunami no Japão e das enchentes da região serrana do Rio de Janeiro.

Cerca de R$ 1,8 milhões teriam sido repassados a uma ONG que pertence à mãe do vice-presidente da entidade na época das transferências, Anderson Marcelo Choucino.

Outros R$ 500 mil foram parar em um fundo de aplicação, para depois ter destino desconhecido.

A auditoria na Cruz Vermelha Brasileira foi feita pela empresa Moore Stephens, sob encomenda da Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha.

A atual presidente da entidade, Rosely Sampaio, disse que o relatório da auditoria será levado à Justiça.