Críticas à sua atitude deixam Thiago Silva chateado

O capitão da seleção considera que sua reação de se isolar do grupo antes da disputa por pênaltis não foi compreendida e ele foi considerado omisso

Teresópolis – Triste, mas não abalado, e seguro como sempre esteve. Assim ficou o capitão da seleção, Thiago Silva, após as críticas a seu comportamento na partida com o Chile. A repercussão o deixou desapontado, porque considera que sua reação de se isolar do grupo antes da disputa por pênaltis não foi compreendida e ele foi considerado omisso. Mas superou rapidamente a chateação.

“Ele ficou triste com os comentários, porque foram desnecessários”, disse nesta terça à reportagem a mulher do jogador, Isabelle.

“O Thiago sempre foi contido e, até certo ponto, isso era bom, passava tranquilidade para o grupo. De uma hora para outra, o pessoal começou a achar que ele se omitiu, e isso o deixou chateado.’’

Isabelle garante, porém, que Thiago Silva logo reagiu e que está pronto para continuar liderando o grupo com a tranquilidade de sempre.

“Não vai interferir nas outras partidas. Ele é muito seguro e não fez nada de errado. Nada que pudesse abalar a ele ou ao grupo. Sinto que ele está muito tranquilo e focado.’’

O comportamento do zagueiro é motivo de opiniões controversas. Carlos Alberto Torres, capitão no tricampeonato de 1970, reprovou.

Disse que líder que é líder tem de comandar o grupo em qualquer situação. Também criticou a choradeira dos jogadores e alerta que as reações são de quem não está preparado para ganhar.

Cafu, capitão do penta em 2002, não vê problema nem consequências no comportamento de Thiago Silva. “Cada pessoa tem um jeito de reagir e se ele precisava ficar sozinho, tinha de ficar”, afirmou. “O Thiago tem o respeito do grupo e o que ocorreu não deve refletir no seu comando.”

Thiago procura agir com naturalidade. Ainda nesta terça, assistiu a parte do treino dos reservas contra o time sub-20 do Fluminense no banco de reservas.

Ficou calado a maior parte do tempo. Antes de se sentar, cumprimentou um a um todos os integrantes do banco do clube tricolor e, junto com David Luiz, observou, da lente do fotógrafo da CBF, o cair da tarde em Teresópolis.

À noite, conversaria com a psicóloga Regina Brandão. Vários outros jogadores também falariam com a profissional, que tenta conter a instabilidade emocional do grupo.