CPI do BNDES rejeita convocação de acionistas da JBS

O requerimento foi rejeitado com 15 votos contrários e apenas 9 a favor. A JBS foi uma das maiores financiadoras de campanha na última eleição

Brasília – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES rejeitou nesta quarta-feira, 9, a convocação dos irmãos Wesley Batista e Joesley Batista, principais acionistas da JBS.

Em votação nominal, o requerimento foi rejeitado com 15 votos contrários e apenas 9 a favor. A JBS foi uma das maiores financiadoras de campanha na última eleição e recebeu investimentos do BNDES. Dos 27 deputados membros da comissão, 20 receberam doação da JBS na última eleição.

Entre os requerimentos na pauta da CPI, três solicitavam a convocação dos irmãos. O deputado Bebeto (PSB-BA), autor de um requerimento com teor semelhante, solicitou que a votação fosse feita nominalmente.

Em defesa do seu requerimento e pedindo a convocação dos Batista, o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA) afirmou que, até agora, a CPI só ouviu propaganda institucional do BNDES. Mais cedo, antes do início da sessão, Jordy afirmou que acreditava na aprovação do requerimento.

Após notícias sobre o esforço dos parlamentares para não convocar os acionistas da JBS, as ações da empresa registravam ganhos de mais de 4% mais cedo nesta quarta-feira. No entanto, nesta tarde, passaram a cair. No ano, os papéis da companhia acumulam ganhos de quase 50%.

Os deputados que votaram contra a convocação foram: Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), André Moura (PSC-SE), Carlos Zarattini (PT-SP), Covatti Filho (PP-RS), Davidson Magalhães (PCdoB-BA), Del. Edson Moreira (PTN-MG), Diego Andrade (PSD-MG), Edio Lopes (PMDB-RR), Fabio Reis (PMDB-SE), Marcelo Squassoni (PRB-SP), Paulo Magalhães (PSD-BA), Daniel Vilela (PMDB-GO), Mauro Pereira (PMDB-RS), Paulão (PT-AL) e Reginaldo Lopes (PT-MG).

Os deputados que votaram a favor da convocação dos irmãos Batista foram: Bebeto (PSB-BA), Betinho Gomes (PSDB-PE), Carlos Melles (DEM-MG), Cristiane Brasil (PTB-RJ), José Rocha (PR-BA), Miguel Haddad (PSDB-SP), Heuler Cruvinel (PSD-GO), João Gualberto (PSDB-BA) e Arnaldo Jordy (PPS-PA).