CPI da Petrobras mira US$ 185 milhões em Luxemburgo

A CPI da Petrobras rastreia uma fortuna da qual o ex-deputado José Janene, morto em 2010, seria o beneficiário e o doleiro Alberto Youssef seu operador

Curitiba e São Paulo – A CPI da Petrobras rastreia uma fortuna de US$ 185 milhões supostamente depositada em um banco de Luxemburgo, na Europa, da qual o ex-deputado José Janene, morto em 2010, seria o beneficiário e o doleiro Alberto Youssef seu operador.

A informação foi revelada durante depoimento de Youssef, peça central da Operação Lava Jato, à Comissão Parlamentar de Inquérito na manhã desta segunda feira, 11, em Curitiba – onde a CPI se instalou para ouvir pelo menos 13 alvos da Lava Jato.

Na audiência, o deputado Altineu Côrtes (PR/RJ) questionou seguidamente o doleiro sobre a conta Luxemburgo. Youssef negou que tenha participação na conta.

O parlamentar atribuiu à ex-mulher de Janene, Stael Fernanda, a revelação sobre o dinheiro naquela localidade.

Côrtes foi incisivo. “Tem algum banco que o sr. operou em Luxemburgo diretamente ou através de alguém ligado à sua família?”, indagou o deputado. “As contas que eu tinha a revelar já passei para a Justiça Federal”, afirmou o doleiro.

O deputado insistiu: “Além do que o sr. já declarou à Justiça Federal tem algum banco ou alguma operação no exterior que o sr. não tenha colocado até agora?”

“As contas que eu tinha a revelar já passei para a Justiça Federal”, reiterou o doleiro.

O deputado Altineu Côrtes seguiu na mesma linha. “O sr. tratou em algum momento sobre essa conta de Luxemburgo com a sra. Stael Fernanda?”. Youssef disse: “Não, eu nunca tratei. Para mim ele (Janene) nunca falou sobre isso. Não tenho conhecimento sobre isso.”

“É uma situação realmente delicada porque a informação que tivemos é que essa conta no exterior mantém mais de 180 milhões de euros, somente essa conta é superior a tudo o que o sr. disse que havia arrecadado”, alertou o deputado da CPI da Petrobras.

O parlamentar foi categórico. “A ex-mulher de Janene diz que o sr. retirou os recursos dessa conta.”

“Não procede e eu não tenho conhecimento dessa conta”, respondeu o doleiro, preso pela Operação Lava Jato desde março de 2014. “Nunca tive nenhuma conta corrente com Janene, nem com sua esposa, nem procuração.”

O deputado foi incisivo: “Eu tenho essa informação, que essa conta existe e que o sr. participou e retirou esses recursos. O sr. tem uma oportunidade de deixar esse assunto bem claro. A CPI vai achar esses recursos no exterior.”

Alberto Youssef não recuou. “Pode deixar bem registrado que eu nunca tive procuração nem conta corrente com o sr. José Janene.”