Complexo da Mangueira recebe 18ª Unidade de Polícia Pacificadora

A instalação faz parte da política de pacificação do governo estadual

Rio de Janeiro – O Complexo da Mangueira, na zona norte do Rio, recebe hoje (3) a 18ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da capital. A instalação faz parte da política de pacificação do governo estadual.

A nova UPP terá 403 policiais militares, sendo 385 formados recentemente no Centro de Aperfeiçoamento de Praças (Cfap), em Sulacap, na zona oeste da cidade, além de 15 policiais mais experientes e três oficiais. Eles atenderão a cerca de 20 mil pessoas que vivem na região, incluindo o Morro do Telégrafo, a Candelária, a Vila Miséria e Bartolomeu Gusmão, além do Morro do Tuiuti, de Marechal Jardim e do Parque Mineiros.

Os policiais que vão atuar na comunidade receberam, no início da semana, orientações e assistiram a uma série de palestras e vídeos que tratam de temas importantes para o trabalho, como superação, senso de oportunidade e cidadania.

De acordo com o coordenador-geral das UPPs, coronel Rogério Seabra, é importante destacar, na formação, o meio cultural a que os militares estarão ligados. Para ele, é essencial que os policiais que atuarão na área desenvolvam uma política de proximidade conforme as características culturais do lugar, tradicional reduto de música e boemia carioca.

“Eles [os policiais] já passaram por um processo seletivo externo, onde são esclarecidas algumas atividades ligadas ao trabalho que vão exercer. A questão da cultura, por exemplo, conta com policiais com formação em música. Isso ajuda muito, a gente entende como política de proximidade”, disse o coronel Seabra, destacando que o diálogo é fundamental nessas comunidades. Ele lembrou que a ideia de implantação da UPP é resgatar princípios de cidadania, o direito de ir e vir das pessoas.

Sob a coordenação da Secretaria de Segurança, o Complexo da Mangueira foi ocupado em 19 de junho deste ano. Até 2014, o governo pretende instalar 40 UPPs no estado.