Comissão do Senado rejeita parecer sobre reforma trabalhista

Mesmo com a derrota na CAS, o projeto segue normalmente para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)

Em uma reunião tensa, a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado rejeitou, por 10 votos a 9, o texto principal da reforma trabalhista. Apesar da decisão marcar a primeira derrota do governo na tramitação do projeto, o texto segue normalmente para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

O placar surpreendeu governistas e a própria oposição. Senadores governistas trabalhavam com a expectativa de que o texto pudesse ser aprovado por placar de 11 a 8 ou com vantagem de 12 a 8, conforme o quórum da votação.

Com a rejeição do relatório do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES), a Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado aprovou em votação simbólica o voto em separado do senador Paulo Paim (PT-RS).

Esse será o documento chancelado pela CAS que acompanhará o projeto que altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O parlamentar já havia apresentado voto em separado – espécie de relatório alternativo ao oficial. O nome do senador gaúcho foi aprovado pelos demais e, assim, o voto em separado de Paim foi submetido. Em votação simbólica, o texto foi aprovado pelo quórum da CAS.

O texto segue agora para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), onde o relator é o senador Romero Jucá (PMDB-RR). Se aprovada, segue para o plenário, onde todos os senadores darão a palavra final para uma das matérias prioritárias do governo.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ciro Lauschner

    A bancada do PT do Rio Grande do Sul, é um exemplo do que existe de atrasado na política nacional.Não basta ter os Pimentas e Rosários na Camara dos deputados, precisa ter também um Paim no Senado, onde até disfarçava um pouco, até mostrar sua visão de 50 anos atrás, defendendo a Carta di Lavoro, fascista, que é a nossa CLT.

  2. Carlos Araújo

    CLT de 1943! Difícil acreditar que alguns senadores se juntaram a esquerda para continuar
    atrasando o Brasil. Estão pensando nas eleições, mas se esquecem que o desemprego vai
    continuar tirando a dignidade das familias. É lamentável!

  3. persianasflaci.blogspot.com

    Esses caras nao fazem nada pra ajudar o trabalhador ..

  4. Que lamentável! Esses distintos Senadores estão perdendo a oportunidade de produzir alguma coisa de interesse do país. O que eles dirão para o 14 milhões de desempregados? Eles estão pensando nesse contingente de pessoas que estão beirando o desespero? Que pena!

  5. Gabriel Previato

    Pelo que vejo só dá empresário interessado em chicotear t6rabalhador comentando aqui na vExame… #CHUPATEMER

  6. Gente lúcida.

  7. Gabriel Previato

    AGomes, nunca disse que não são lúcidos, estão apenas defendendo interesses próprios, os quais não coadunam com os interesses dos trabalhadores assalariados

  8. Rafael Assis

    Exatamente!

  9. Tudo indica que tem um monte de empresários comentando aqui…. Só que do jeito que está essa reforma não dá….É vou mais além, se existe um monte de ações na justiça é porque não seguem a lei…. só seguir a lei que não tem ações….Querem mudar a lei para levar vantagens da parte mais fraca que é o trabalhador.

  10. Querem mudar a lei para levar vantagens da parte mais fraca que é o trabalhador.

  11. A CLT é de 1943. Não dá para alterá-la da moite para o dia. a toque de caixa, como estão fazendo.

  12. Tivemos o record de desemprego SEM reforma trabalhista. Empresários tiveram desonerações e não cresceram, juntaram lucros para si. Querem jogar no governo o resultado da própria incompetência.

  13. Marcos Antonio de Assis

    Parabéns aos políticos ! Esse discurso de que essas mudanças vão diminuir os índices de desemprego é pura balela. Me respondem de fato a quem interessa essas reformas ? Ao trabalhador ? Usam como vitrine dessa mudança o fato de que o trabalhador deixará de pagar um dia de contribuição sindical,mas, me corrijam se estiver enganado, essa reforma também não altera para 12 horas de trabalho? Essas horas darão uns três dias de trabalho a mais, por semana. E aí ? Vai achar ruim com o patrão ? Vai negociar com ele ? Isso me lembra muito o episódio da ” Família dinossauro” , quando o Dino vai pedir aumento para o seu patrão!

  14. Acredito que essa não seja a reforma que o trabalhador/empresário realmente precise, porém de 43 pra cá mudou muita coisa e a CLT que nós temos não abrange o hoje e muito menos o que virá pela a frente. Devido a revolução tecnológica que o mundo passa e a lei que temos hj o Brasil não se torna muito atraente, nunca vamos crescer como país vivendo sempre no passado.