Começa a segunda etapa da vacinação contra o HPV

Garotas entre 11 e 13 anos que já tomaram a primeira dose podem procurar um posto de saúde

São Paulo – A segunda etapa da vacinação contra HPV começa na segunda-feira em todo o País. Meninas entre 11 e 13 anos que já tomaram a primeira dose podem procurar um posto de saúde mais próximo.

Assim como ocorreu na primeira fase, o Ministério da Saúde recomenda que municípios organizem a vacinação também nas escolas públicas e particulares.

A segunda dose, aplicada seis meses depois da primeira, é essencial para garantir a proteção contra o HPV, vírus que está associado ao aparecimento do câncer de colo de útero. “Sem a segunda dose não há proteção”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro.

A meta é garantir cobertura de 80% entre a população alvo. Na primeira etapa, 87,3% das meninas entre 11 e 13 anos foram imunizadas. “Foi um ótimo resultado. Só a Austrália teve cobertura semelhante”, disse o secretário de Vigilância em Saúde, Jardas Barbosa.

A vacina faz parte do calendário vacinal. Meninas que completaram agora 11 anos podem ir ao posto tomar a primeira dose. A inclusão do imunizante no programa nacional ocorreu neste ano. Em 2015, a vacina passa a ser oferecida para adolescentes de 9 a 11 anos.

Para população indígena, a faixa etária para vacinação, desde já é entre 9 e 11 anos.

A vacina protege contra quatro tipos de vírus. Dois deles são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer de colo de útero. Barbosa afirma, no entanto, que, mesmo vacinadas, mulheres devem realizar a partir de 25 anos o exame papanicolau. O câncer de colo de útero é o terceiro mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e colorretal. É a terceira causa de morte de mulheres por câncer.

Uma terceira dose da vacina, para reforço, deve ser dada 5 anos depois da aplicação da primeira dose.Cerca de 942 mil meninas, com 11, 12 e 13 anos de idade, que já receberam a primeira dose da vacina no primeiro semestre deste ano, devem procurar o posto de vacinação mais próximo para a aplicação da segunda dose, no Estado de São Paulo. Ao todo serão 4,7 mil postos com horário de funcionamento entre 8 e 17 horas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.