Cid Gomes pede para TSE probir Bolsonaro de usar sua fala em propaganda

O senador eleito pelo Ceará afirma que a peça eleitoral do pesselista fere a lei eleitoral, além de distorcer seu discurso

São Paulo — O senador eleito pelo PDT no Ceará Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, entrou com uma petição no TSE para impedir que Jair Bolsonaro (PSL) veicule sua imagem em uma propaganda eleitoral que foi ao ar nesta terça-feira (16).

O programa traz trechos do discurso que o senador fez, na segunda-feira (15), durante um ato pró-Haddad, no Ceará, quando afirmou que o PT vai “perder feio a eleição”. Na ocasião, Cid disse que os petistas teriam que pedir desculpas “e reconhecer que fizeram muita besteira”.

Na petição, a defesa do senador alega que a legislação eleitoral não permite condutas como a da campanha do capitão reformado.

“O artigo 54 da Lei 9.504/97, bem como o seu parágrafo único, buscam impedir a utilização da imagem de pessoas de outras agremiações partidárias ou partidos que tenham formalizado o seu apoio no segundo turno das eleições, por partido pertencente à Coligação adversária”, diz a peça.

A ação afirma, ainda, que o senador já declarou seu apoio ao candidato do PT, Fernando Haddad, e que a propaganda eleitoral ignorou essa informação.

“Mais grave ainda o modo como o vídeo foi veiculado, transmitindo apenas trecho da declaração do Sr. Cid Gomes, omitindo a manifestação de apoio e voto ao candidato Fernando Haddad, bem como elogios pessoais ao mesmo, ressaltando unicamente o trecho em que o ora representante indica a possibilidade de derrota do PT.”

Segundo a defesa, a adoção desse tipo de publicidade, “direcionada à classe menos informada dá a ideia falsa, ou pelo menos incompleta, que poderá levar milhares de brasileiros ao erro.”

A reportagem entrou em contato com a equipe do candidato do PSL, mas não obteve resposta até sua publicação.

Cid Gomes grava vídeo em apoio a Haddad

Após a veiculação da campanha eleitoral, o senador eleito gravou nesta quarta-feira (17) um vídeo em apoio à candidatura de Haddad.

Na gravação, o pedetista cita o uso de sua imagem por Bolsonaro. “Com tudo o que penso e diante de tudo que falei, não é correto o que fez o outro candidato usando imagens minhas editadas sem minha autorização. Que não fique nenhuma dúvida: neste segundo turno, Haddad é o melhor para o Brasil. Votarei no Haddad no dia 28”.