Chuvas causam estragos e mortes em Santa Catarina

Todos os principais acessos da capital Florianópolis, de norte a sul, estão parcialmente interditados

Florianópolis – A cidade de Florianópolis, que vem sofrendo com fortes chuvas nos últimos dias, já teve um registro de quase três vezes a precipitação esperada para o mês de janeiro, que varia entre 150 mm e 170 mm. Do início da semana até as 7h desta quinta-feira, dia 11, caíram 400 mm.

Todos os principais acessos da cidade, de norte a sul, estão parcialmente interditados. Em alguns pontos há desmoronamento e muitos trechos de rodovias estão cedendo. Nas ruas alagadas, pessoas caminham com água pela cintura.

A Defesa Civil ainda não estimou o número exato de desabrigados, mas dois abrigos foram improvisados em escolas no centro e no bairro Saco Grande.

Em São João Batista, na Grande Florianópolis, Gabriele Hayana Amorim Lopes, de 8 anos, morreu na tarde desta quarta-feira, 10, após uma grande árvore cair sobre o telhado da garagem da casa onde ela brincava.

A irmã da vítima, de 13 anos, foi atingida, mas não teve ferimentos graves. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a árvore cedeu ao excesso de chuva.

Em Balneário Camboriú, um haitiano de 34 anos está desaparecido. Segundo os Bombeiros, ele pode ter sido arrastado pela correnteza para um bueiro. Até o momento, não há outras ocorrências com vítimas.

Para evitar acidentes, a prefeitura de Florianópolis emitiu um comunicado recomendando às pessoas que fiquem em casa. O poder público também decretou situação de emergência.

Outros municípios do Estado afetados são Imbituba, Braço do Norte, São José, São João Batista, Biguaçu, São Francisco do Sul, Penha, Itapema e Lauro Müller