Chanceler brasileiro visita Argélia para fortalecer relações

A visita se encaixa no "fortalecimento das relações tradicionais de amizade e de cooperação que os dois países mantêm"

Argel – O ministro brasileiro de Relações Exteriores, Mauro Iecker Vieira, realiza a partir desta terça-feira uma visita de trabalho de dois dias em Argel para fortalecer as relações bilaterais entre ambos estados, anunciou o Ministério argelino das Relações Exteriores.

Segundo um comunicado divulgado pela agência estatal “APS”, a visita se encaixa no “fortalecimento das relações tradicionais de amizade e de cooperação que os dois países mantêm e reflete a vontade comum de dar um novo impulso e ampliá-los a outros âmbitos”.

Além disso, é “uma oportunidade para a continuação do diálogo entre Argélia e Brasil a favor da realização sob a copresidência dos dois ministros, da primeira reunião do mecanismo de diálogo estratégico entre os dois países criado em julho de 2010”, explica na nota.

As duas partes terão que “examinar a questão da revitalização dos mecanismos de cooperação bilateral, em particular a programação da quinta reunião da Comissão mista argelino-brasileira”, disse o Ministério.

Os dois diplomatas também farão “uma troca de opiniões sobre questões regionais e internacionais de interesse comum, em particular a cooperação sul-sul e triangular”.

O objetivo é “o fortalecimento da cooperação regional, em previsão da realização da quarta Cúpula de Países Árabes e América Latina (ASPA), previsto para 10 e 11 de novembro de 2015 em Riad (Arábia Saudita), e da quarta Cúpula da América do Sul-África (AEA), que será realizada em Quito, em 2016”, acrescentou.

O comunicado explica, além disso, que o chefe da diplomacia brasileiro convidado por seu colega argelino, Ramtan Lamamra, será acompanhado de uma importante delegação.

Durante sua visita, Vieira terá também outros encontros com vários altos funcionários argelinos.

Esta é a segunda vez durante esse ano que um diplomata brasileiro visita o país norte-africano após a realizada em abril pelo vice-ministro brasileiro de Relações Exteriores, Sérgio França Danese.