Cerca de 500 pessoas foram presas no Rio de Janeiro

Algumas pessoas foram presas tentando burlar a regra que proíbe levar à cabina celulares, rádios, câmeras e equipamentos que possam comprometer o sigilo do voto

Brasília – O desembargador Luiz Zveiter, presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, informou que cerca de 500 pessoas foram presas por fazer boca de urna no Estado. Entre os presos havia candidatos a vereador do Rio, Magé, Campos e Paty do Alferes. Segundo Zveiter, como boca de urna é crime de menor potencial ofensivo, não prejudica o candidato caso seja eleito. “Fica o mau exemplo”, disse.

O desembargador informou ainda que algumas pessoas foram presas, tentando burlar a regra que proíbe que o eleitor leve para a cabina celulares, rádios, câmeras e qualquer equipamento que possa comprometer o sigilo do voto. “Eles se esmeram, se superam. Em Magé, um cidadão estava com uma chave de veículo que na ponta era uma filmadora. Ele foi preso e o aparelho será periciado”. (Clarissa Thomé)