Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Carlos: sem vias democráticas; Johnson suspende parlamento; Pacote anticrime: Moro quer campanha na TV e mais...

Carlos: sem vias democráticas

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, afirmou que “por vias democráticas, a transformação que o Brasil quer não acontecerá” na velocidade que o governo planeja. A declaração foi feita pela rede social Twitter na noite desta segunda-feira, 9. No texto, Carlos reclama ainda da atuação de políticos da oposição, sem citar nomes. Segundo ele, os avanços são ignorados, e os malfeitores esquecidos

Pacote anticrime: Moro quer campanha na TV 

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, traçou uma estratégia para tentar salvar seu pacote anticrime no Congresso Nacional. Com sucessivas derrotas na Câmara, o ministro consultou a “bancada da bala” e agora está à procura de um relator “amigo”, favorável às propostas, para retomar o texto original em plenário. Ao mesmo tempo, o ministério vai lançar uma campanha publicitária para garantir apoio às medidas. O pacote anticrime é a principal bandeira de Moro como ministro, mas tem sido desfigurado por deputados. A ofensiva ocorre após o ministro sofrer desgaste no governo depois de uma queda de braço com o presidente Jair Bolsonaro por trocas na Polícia Federal. As peças na TV, no rádio e nas redes sociais já deveriam estar no ar desde junho, mas acabaram na “geladeira” após a divulgação das primeiras reportagens envolvendo troca de mensagens atribuídas a Moro e a procuradores da Lava Jato na época em que o atual ministro era juiz federal. O governo negou que a suspensão da propaganda estivesse relacionada ao escândalo e atribuiu a decisão à discussão da reforma da Previdência. 

_

Mourão visita Bolsonaro no hospital

O presidente da República em exercício, Hamilton Mourão, visitou o presidente Jair Bolsonaro no início da tarde desta segunda-feira 9 no Hospital Vila Nova Star, na capital paulista. Bolsonaro deu entrada no hospital na noite de sábado e foi submetido a uma cirurgia no domingo. Mourão esteve com o presidente durante cerca de 15 minutos. Bolsonaro, que se licenciou por cinco dias, deve reassumir o cargo ainda no hospital, mas somente após um período inicial de recuperação. Segundo a equipe médica, o presidente deve permanecer internado por até 10 dias. Em entrevista na manhã desta segunda-feira, o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, disse que Bolsonaro, mesmo afastado do cargo, pretende participar das decisões de governo. “O presidente, é da natureza dele estar ativo o mais rápido possível. A evolução clínica tem sido muito positiva. Em razão dessa evolução, o presidente se mostra já disposto a reiniciar trabalhos de condução do Poder Executivo, ainda que, neste momento, nós tenhamos o vice-presidente da República chefiando o nosso governo”, ressaltou o porta-voz.

_

Acordo com México?

O secretário de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Marcos Troyjo, afirmou que estão em andamento negociações para um acordo comercial entre Brasil e México, com foco em produtos agrícolas. Os países são as duas maiores economias da América Latina. Troyjo participou nesta segunda-feira da Conferência Anual do Conselho Empresarial Brasil-China (CEBC) em São Paulo. As negociações representam parte da estratégia do presidente Jair Bolsonaro de fazer acordos bilaterais com outros países, em detrimento de acordos multilaterais envolvendo o bloco do Mercosul. Em julho, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que também irá buscar um acordo comercial com o Brasil.

_

Macron e Piñera flagrados reclamando de Bolsonaro

Um canal francês divulgou imagens dos bastidores da cúpula do G7, que aconteceu na França no final de agosto, e que deixaram evidente a má fama do brasileiro. No vídeo, Sebastián Piñera, presidente do Chile e aliado de Bolsonaro, está conversando com Emmanuel Macron, presidente da França, criticando comentários e atitudes recentes do brasileiro, especialmente o episódio no qual ele desferiu ofensas contra a primeira-dama da França, Brigitte Macron. “Foi incrível”, disse Piñera sobre a reação de Macron ante o fato envolvendo a sua esposa. “Claro, eu tinha que reagir, você entende?”, responde o francês. “Eu queria ser pacífico, queria ser correto, construtivo com o ‘cara’ e respeitar sua soberania”, continuou, “mas eu não poderia aceitar isso”. Nesse momento, a chanceler alemã, Angela Merkel, se aproxima da roda e exclama “não!”, condenando os comentários do presidente brasileiro. 

_

Focus: cai previsão do PIB de 2020

Economistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) reduziram de a estimativa para o Produto Interno Bruto (PIB) do o ano que vem de 2,10% para 2,07%, segundo o Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira 9. Para este ano, a projeção foi mantida em 0,87%. Os economistas começaram o ano otimistas com o desenvolvimento de investimentos e o setor produtivo para 2019, chegando a prever alta de 2,57%. Sem a retomada esperada, a previsão virou de “pibinho” depois vinte semanas consecutivas de reajuste para baixo da taxa. Já a previsão para a inflação de 2019 caiu de 3,59% para 3,54%. O Boletim Focus é divulgado semanalmente pelo BC com as previsões do mercado financeiro para os principais índices da economia brasileira.

_

Mais 25 frigoríficos brasileiros são autorizados a exportar para a China

O Brasil vai vender mais carnes para a China, com a habilitação de mais 25 frigoríficos. Nesta segunda-feira 9, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) recebeu um comunicado da GACC, órgão de sanidade chinês, informando a habilitação dessas plantas para a exportação de carnes para o país asiático. Dos 25 frigoríficos habilitados, 17 são produtores de carne bovina, seis de frango, um de porco e um de asinino. As empresas já podem exportar imediatamente. Com a decisão do órgão de sanidade chinês, o número de plantas habilitadas passa de 64 para 89. As negociações para que o GACC ampliasse o número de frigoríficos brasileiros autorizados a exportar para a China foram conduzidas pelo Mapa em conjunto com o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada do Brasil em Pequim. Em maio, a ministra Tereza Cristina e comitiva viajaram para China e outros países asiáticos com o objetivo ampliarem a venda dos produtos agropecuários brasileiros.

Juul notificada por cigarros eletrônicos

A fabricante de cigarros eletrônicos americana Juul foi notificada pela FDA, escritório de regulação de alimentos e remédios nos Estados Unidos, por fazer propaganda de seus cigarros como menos nocivos à saúde do que cigarros comuns. A empresa usa 5% de nicotina em seus produtos, e alguns cigarros eletrônicos têm quase a mesma quantidade de nicotina que cigarros comuns. A FDA deu prazo de 30 dias para que a Juul se explique sobre o marketing indevido. No mês passado, a FTC (Federal Trade Commission), que regula o comércio americano, começou também uma investigação sobre o fato de a Juul usar influenciadores digitais para promover seus produtos, o que pode ser apelativo aos mais jovens.

_

Johnson vai suspender Parlamento no Reino Unido

O premiê britânico Boris Johnson deve suspender o Parlamento britânico até 14 de outubro, segundo informou o governo. Na noite desta segunda-feira, o Parlamento vai ainda votar pedido de Johnson para convocar novas eleições parlamentares, o que deve ser rejeitado pelos parlamentare. O Parlamento está em pé de guerra com o primeiro-ministro e aprovou lei que o obriga a tentar negociar uma extensão do prazo para o Brexit, saída do Reino Unido da União Europeia — o que, pelo prazo atual, precisa acontecer até 31 de outubro. Embora Johnson esteja obrigado a tentar negociar uma extensão, a União Europeia informou que ainda não recebeu nenhuma proposta do premiê britânico. Em visita à Irlanda, Johnson disse nesta segunda-feira que “preferiria” encontrar um acordo na cúpula da União Europeia, em 17 e 18 de outubro.

__

Presidente da Câmara renuncia

O presidente da Casa dos Comuns do Reino Unido, John Bercow, anunciou que vai renunciar ao cargo após a data final para o Brexit, em 31 de outubro. Bercow, que no geral aparece pouco e cuja função é pacificar o embate entre o Partido Conservador e o Trabalhista no Parlamento britânico, está em conflito com Boris Johnson e chamou sua medida de suspender o Parlamento de “ultrajante”. 

__

Bachelet volta a acusar Venezuela de crimes e alfineta Trump

A ex-presidente do Chile e alta comissária da Organização das Nações Unidas (ONU), Michelle Bachelet, divulgou documento nesta segunda-feira novo relatório acusando de crimes humanitários o governo de Nicolás Maduro na Venezuela. Bachelet afirmou também que sanções do governo do presidente americano, Donald Trump, ajudam a “agravar a situação humanitária” do país. O relatório aponta que a ditadura de Maduro estaria por trás de casos de assassinato, tortura e maus-tratos, com mais de 50 execuções feitas pela Forças de Ação Especiais da Polícia Nacional, grupo ligado ao governo. Um primeiro relatório já havia sido apresentado em julho denunciando condições na Venezuela, sem grandes avanços desde então.