Carlos Bolsonaro diz que Brasil não mudará por “vias democráticas”

Após a repercussão, vereador disse que foi "mal interpretado"

O vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) disse, nesta segunda-feira, (9), que por vias democráticas não haverá as mudanças desejadas no país “na velocidade que almejamos”. A postagem foi feita no Twitter do filho do presidente Jair Bolsonaro e foi duramente criticada por internautas e ativistas.

“Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos… e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!”

Após a repercussão, o vereador voltou ao Twitter nesta terça-feira, 10, para tentar explicar sua declaração.

“O que falei: por vias democráticas as coisas não mudam rapidamente. É um fato. Uma justificativa aos que cobram mudanças urgentes. O que jornalistas espalham: Carlos Bolsonaro defende ditadura. CANALHAS!”, escreveu nesta terça.

Essa não é a primeira vez que a família Bolsonaro tece declarações do tipo. No ano passado, durante as eleições, Carlos se envolveu em diversas polêmicas, já que cuidava das estratégias das redes sociais do pai.

No Twitter, entidades e políticos se posicionaram contra a declaração do vereador. “Figuras autoritárias insistem em transformações que não sejam pelas vias democráticas”, escreveu o PSDB em rede social.

 

Sâmia Bonfim, do PSOL, chamou a declaração de Carlos de discurso “golpista e autoritário”.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Felipe Cruz, presidente nacional da OAB disse que “Não há como aceitar uma família de ditadores”.