Curtas – Uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Candidata: ministro do Turismo sabia; o vídeo de Bolsonaro para Bebianno; SP contra canudinhos e mais...

O vídeo de Bolsonaro

Circula nas redes sociais na noite desta segunda-feira (18) um vídeo pré-gravado no qual o presidente Jair Bolsonaro elogia o ministro Gustavo Bebianno, que acaba de ser exonerado. “Desde a semana passada, diferentes pontos de vista sobre questões relevantes trouxeram a necessidade de uma reavaliação. Avalio que pode ter havido incompreensões e questões mal entendidas de parte a parte, não sendo adequados pré-julgamentos de qualquer natureza”, diz o presidente. Bebianno foi exonerado nesta segunda-feira e, por meio de seu porta-voz, o governo se limitou a dizer que a decisão tinha motivo de “foro íntimo”.

Candidata: ministro do Turismo sabia

Candidata nas últimas eleições a deputada estadual pelo PSL de Minas Gerais, então presidido pelo atual ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, a professora aposentada Cleuzenir Barbosa, 47, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo que o ministro sabia de um esquema de lavagem de dinheiro público no estado. “O dinheiro viria para mim e retornaria para eles”, afirmou. Cleuzenir também fez acusações na polícia e no Ministério Público, que investigam o caso. O uso de candidaturas laranja foi apontado como a causa que levou à demissão do ministro da secretaria-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, também do PSL.

Inquérito contra Collor

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu abrir inquérito para investigar o senador Fernando Collor (PROS-AL). A apuração diz respeito às revelações feitas pelo “O Estado de S. Paulo” em 2017 de que a Casa da Dinda – um dos principais símbolos do governo do ex-presidente – teve despesas mantidas com verba do Senado. O caso tramita sob sigilo no Supremo. Conforme informou a reportagem em novembro de 2017, o senador por Alagoas gastou cerca de R$ 40 mil mensais de sua cota parlamentar com segurança, conservação, limpeza e jardinagem na propriedade de sua família.

São Paulo proibirá canudinhos

O prefeito paulistano Bruno Covas (PSDB) vai sancionar um projeto de lei para proibir fornecimento de canudos plásticos em estabelecimentos comerciais. De autoria do vereador Reginaldo Tripoli (PV), o projeto estipula multa de até 8.000 reais. A medida segue projeto adotado em cidades como Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro, Camboriú (SC), Ilhabela (SP), Santos (SP), Rio Grande (RS) e todo o estado do Rio Grande do Norte. O projeto tramita na Câmara Municipal de São Paulo.

Centauro entra com pedido de IPO

O Grupo SBF, dono da rede de lojas de produtos esportivos Centauro, retomou os planos de abertura de capital com listagem de ações na bolsa paulista. Segundo dados disponibilizados no site da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta segunda-feira, a companhia pediu registro de companhia aberta e autorização para realizar uma oferta inicial de ações, em operação que será coordenada por Bradesco BBI, Itaú BBA, BTG Pactual, Goldman Sachs, BB Investimentos e Credit Suisse.

Protestos contra Trump

Ativistas em Washington, Chicago e dezenas de outras cidades norte-americanas protestaram nesta segunda-feira, quando é comemorado o Dia do Presidente nos Estados Unidos, contra o plano do presidente Donald Trump de declarar emergência nacional para conseguir recursos para um muro na fronteira com o México. Chamando a declaração de Trump de abuso de poder e usurpação do Congresso, organizadores ligados ao grupo sem fins lucrativos MoveOn.org e outros participantes disseram que é importante que a indignação com a decisão seja ouvida. “Discordamos do estado de emergência declarado pelo presidente e estamos com nossos colegas e amigos imigrantes”, disse Darcy Regan, diretora executiva do grupo Indivisible Chicago, que ajudou a organizar o protesto na cidade.

Ajuda russa

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta segunda-feira que na quarta-feira chegarão ao país 300 toneladas de ajuda humanitária procedente da Rússia, um anúncio que realiza em um momento no qual a oposição pressiona pela entrada de doações de outros países em meio à escassez de alimentos e remédios. “Na quarta-feira chegam 300 toneladas de ajuda e assistência humanitária da Rússia, legalmente, chegam pelo Aeroporto de Maiquetía (que serve Caracas) convertidas em remédios de alto custo”, disse Maduro durante um conselho presidencial transmitido em rede obrigatória de rádio e televisão.