Campos diz que não vê incoerência em apoiar Alckmin

"Estamos obtendo apoio de governadores de vários estados" diz candidato a presidência do PSB, sobre apoio do governador Alckmin, do PSDB

Marília - O candidato a presidente <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/eduardo-campos">Eduardo Campos</a></strong> (PSB) esteve nesta terça-feira, 22, em Marília para inaugurar o primeiro de 40 comitês de campanha no estado de São Paulo. </p>

Durante os discursos e em entrevista coletiva, Campos ressaltou o apoio do governador Geraldo Alckmin (PSDB), de quem espera reciprocidade nas eleições de 2014. Geraldo Alckmin já anunciou que vai fazer campanha apenas para o candidato do partido, Aécio Neves.

Ao ser questionado sobre o apoio a Alckmin, já que sua candidata a vice, Marina Silva (Rede) sempre foi contra, Campos respondeu que essa questão é um “debate de palanque, que já passou”.

À reportagem, Campos enfatizou que não há incoerência no apoio ao governador. “Estamos obtendo apoio de governadores de vários estados. Em alguns, tem até dois ou três candidatos nos apoiando. A construção de uma eleição nacional enfrenta, nos estados, estes quadros”, disse. Jornal de campanha que foi distribuído no comitê traz a foto de Eduardo Campos, com Alckmin e Márcio França ao lado.

Campos chegou à Marília por volta das 11h30. No comitê, que fica no centro da cidade, ele foi recebido por dezenas de prefeitos, vereadores e outras lideranças políticas regionais.

O candidato estava acompanhado dos deputados federais Roberto Freire (PPS) e Abelardo Camarinha (PSB), do candidato a vice-governador Márcio França (PSB) e do prefeito de Marília, Vinícius Camarinha (PSB).

Marina não foi citada pelos oradores. Apenas Márcio França fez menção à vice de Campos, lembrando que ela foi candidata na última eleição, obtendo 20 milhões de votos.

“Ela vai nos ajudar no norte do país, mas quem vai mandar é o Eduardo”, disse. Sobre essa questão, Eduardo disse que está trabalhando junto com Marina. “Nós fizemos um acordo programático. Discutimos com a sociedade. Na verdade, no serviço público, quem deve mandar é o povo”, desconversou.

Suassuna

O candidato do PSB cancelou a agenda de campanha desta quarta, em São Paulo para ir ao Recife acompanhar o estado de saúde do escritor Ariano Suassuna, que foi secretário do ex-governador em Pernambuco.

O autor está em coma e respira com ajuda de aparelhos, após sofrer um acidente vascular cerebral (AVC). Além ter atuado na equipe de Campos, Suassuna é amigo pessoal de toda a família do candidato do PSB.