Câmara desiste de “pauta-bomba” que traria conta bilionária para Bolsonaro

Oficialmente, o recesso parlamentar só começa no dia 23 e a Casa pode ainda convocar sessões na próxima semana

São Paulo – Depois da repercussão negativa, a Câmara praticamente encerrou os trabalhos da atual legislatura no plenário nesta semana e deve desistir de projetos que deixariam uma fatura bilionária para o governo Jair Bolsonaro.

Oficialmente, o recesso parlamentar só começa no dia 23 e a Casa pode ainda convocar sessões na próxima semana. A avaliação de técnicos, no entanto, é que a chance de isso acontecer é pequena, já que deputados reeleitos devem ir aos seus Estados para se diplomar.

O projeto que previa perdão de dívida para Cemig (R$ 4 bilhões) chegou perto de ser votado. O texto também tiraria cerca de R$ 15 bilhões do fundo social para financiar gasodutos. Outro projeto que deverá ficar para a próxima legislatura é a que trata das dívidas do Funrural (a previdência do setor). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.