Câmara adia para hoje votação de socorro aos estados

Foram quase seis horas de discussão na sessão de quarta-feira, sem chegar a um consenso

A Câmara dos Deputados adiou para esta quinta-feira a votação do regime de recuperação fiscal dos Estados, após quase seis horas de discussões sobre o projeto na quarta-feira e em meio a dúvidas sobre sua aprovação.

O relator da proposta, deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), apresentou um parecer com mudanças, incluindo uma redução de 20 por cento para 10 por cento ao ano no percentual de redução das renúncias tributárias instituídas por lei estadual, informou a Agência Câmara Notícias.

A sessão do plenário da Câmara para votar o projeto foi marcada para as 9h.

O projeto trata da recuperação fiscal de Estados super endividados, concedendo uma interrupção do pagamento das dívidas dos entes que aderirem ao programa, desde que cumpram contrapartidas, dentre elas a necessidade de limitar o crescimento das despesas obrigatórias, a proibição de reajustes salariais e contratação de servidores públicos e a privatização de estatais nos setores financeiro, de energia e de saneamento.

Entre as contrapartidas estão também a redução de incentivos tributários e adoção, pelos Estados que optarem pelo regime de recuperação fiscal, de um regime próprio de Previdência.

Segundo dados do relator da proposta, a interrupção do pagamento da dívida dos três Estados em maior dificuldade –Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais– teria um impacto de 37,3 bilhões de reais sobre a receita financeira da União.