Caixa 2 adiado; recontagem nos EUA…

Caixa 2 adiado

Depois da pressão feita pela população e da proporção que o tema alcançou, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), adiou a votação do projeto que deve anistiar políticos que cometeram o crime de caixa dois. A anistia seria inserida no pacote das Dez Medidas Contra a Corrupção, propostas pelo Ministério Público e endossadas por mais de 2,4 milhões de assinaturas. Hoje, o caixa dois não é tipificado como crime, mas quem o comete pode responder por outras infrações, como corrupção passiva e ativa, além de lavagem de dinheiro.

Odebrecht não assina delação

Por problemas em alguns detalhes, os quase 80 executivos da Odebrecht envolvidos em acordos de delação premiada não assinaram os documentos nesta quinta-feira. Alguns detalhes do acordo de leniência ainda precisam ser acertados, como a quantidade que vai ser repassada ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos e o prazo que a empresa tem para realizar esse pagamento. Da multa, que poderá chegar a 7 bilhões de reais, um pouco menos da metade será dividido entre Estados Unidos e Suíça, países que também ajudaram nas investigações. Os americanos queriam um aumento de 170.000 na parte que lhes cabe. Assim que tudo for acertado, as assinaturas devem começar a ocorrer.

100 bi do BNES devem ser pagos esse ano

Depois do Tribunal de Contas da União determinar que o BNDES devolva 100 bilhões de reais à União devido aos empréstimos realizados nos últimos anos, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a restituição será integralmente feita neste ano. Inicialmente estava previsto que o dinheiro voltasse ao longo de três anos. O dinheiro deve ser integralmente usado para pagar a dívida pública e não poderá ser destinado aos estados endividados. Entre 2008 e 2014, o Tesouro emprestou ao BNDES cerca de 450 bilhões de reais.

Garotinho liberado

O Tribunal Superior Eleitoral liberou o ex-governador do Rio de Janeiro Anthony Garotinho da prisão. A fiança ficou estipulada em 100 salários mínimos, ou 88.000 reais, e Garotinho não poderá se ausentar mais de três dias da residência sem avisar o juiz. Garotinho foi preso acusado de compra de votos nas eleições de Campos dos Goytacazes, onde sua mulher, Rosinha Garotinho, é prefeita. Como secretário da prefeitura, ele teria aumentado sem justificativas o programa social chamado Cheque Cidadão.

__

Voando menos

De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas Áreas (Abear), a demanda por voos domésticos caiu 5,1% em outubro em relação ao mesmo mês do ano passado. Já é o 15o mês consecutivo com redução da demanda no setor aéreo. Em contrapartida, a oferta de assentos nas companhias caiu 5,14%, deixando as aeronaves com uma taxa de 79,3% de ocupação. O fluxo de passageiros também diminuiu: foram 7,3 milhões de pessoas, uma redução de 6,8% e o menor número desde outubro de 2012. No acumulado do ano, a demanda por voos no país caiu 6,2% em relação ao mesmo período de 2015.

__

Emprego: menos 74.748 vagas

O mercado de trabalho brasileiro perdeu 74.748 vagas no mês de outubro, de acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho. O número é menor do que o esperado, já que as medianas das expectativas apontavam para uma redução de 89.000 postos de trabalho. No mesmo mês do ano passado, 169.131 vagas foram encerradas. O pior desempenho foi no setor de construção civil, que fechou 33.517 postos; e o melhor cenário foi no comércio, que gerou 12.946. No ano, já são 751.816 baixas no mercado de trabalho.

Recontagem nos EUA

Jill Stein, candidata à Presidência americana pelo pequeno Partido Verde, diz ter arrecadado 3,5 milhões de dólares para pedir a recontagem dos votos da eleição presidencial nos estados de Wisconsin, Michigan e Pensilvânia. Nas três localidades, o republicano Donald Trump venceu por menos de 1 ponto percentual. Legenda mais à esquerda que os partidos Democrata e Republicano, o Partido Verde diz que o objetivo não é ajudar a segunda colocada, Hillary Clinton. “Merecemos eleições em que possamos confiar”, disse um porta-voz. Com 48% dos votos nacionais, Hillary teve 1,8 milhão de eleitores a mais que Trump, mas perdeu no Colégio Eleitoral.

Tony Blair: Brexit pode ser parado

Em entrevista a uma revista britânica, o ex-premiê do Reino Unido, Tony Blair, diz acreditar que a decisão pelo Brexit — saída da União Europeia — não é definitiva. Para Blair, o Brexit “pode ser parado se os britânicos assim decidirem” depois de ter visto “o que significa” e que seu custo-benefício não se justifica. A posição é diferente da tomada pela atual premiê, Theresa May, que afirmou repetidas vezes que “Brexit significa Brexit”. Na quarta-feira, o governo deu uma prévia do que a saída pode significar: o Estado entrará em déficit devido ao baixo crescimento e à desvalorização da libra, e o PIB deverá crescer apenas 1,4% em 2017 — o menor avanço desde 2009.

Paz na Colômbia: agora vai?

O governo colombiano e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia assinaram um novo acordo de paz na manhã desta quinta-feira, após o primeiro ter sido rejeitado num referendo popular em outubro. Vencedor do Prêmio Nobel da Paz pelas negociações, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, disse que o novo acordo é “melhor” porque “incorpora a imensa maioria dos desejos dos colombianos, mas preserva os objetivos essenciais” do primeiro texto. O tratado será agora entregue ao Congresso e a expectativa é que seja votado já na semana que vem. Ainda assim, a oposição liderada pelo ex-presidente Álvaro Uribe disse continuar contra o tratado, afirmando que as regras estimulam a impunidade das Farc.

UE: “não” à Turquia

O Parlamento Europeu aprovou uma resolução pedindo o “congelamento temporário” do processo de adesão da Turquia à União Europeia, iniciado em 2005. Os parlamentares alegam uma “repressão desproporcional” por parte do governo do presidente Recep Tayyip Erdogan desde a tentativa de golpe militar em 15 de julho. Mas a palavra final ainda cabe às delegações dos membros da União Europeia, que temem cortar de vez as relações com a Turquia por causa de um acordo em que os turcos se comprometem a bloquear a entrada de refugiados na Europa.