Brasil pode permitir capital privado na Infraero

Tal decisão seria um sinal forte da vontade do governo de confiar mais no financiamento por parte do setor privado para modernizar seus aeroportos

São Paulo – O governo brasileiro decidirá até meados de 2011 se vai permitir investimentos privados na Infraero, empresa que administra os aeroportos do país, informou a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, em entrevista nesta segunda-feira.

Tal decisão seria um sinal forte da vontade do governo de confiar mais no financiamento por parte do setor privado para modernizar seus aeroportos –alguns em condições precárias– e outras infraestruturas a tempo para a Copa do Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016.

A ministra disse que um estudo independente encomendado pelo governo recomendou que a Infraero lançasse uma oferta pública inicial.

“O projeto inicial seria a abertura de capital da Infraero por meio de um IPO”, afirmou Miriam.

“Temos a sensação de que isso seria necessário para melhorar a governança da empresa”, disse em entrevista depois do encontro anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento, em Calgary, no Canadá.

Ela também respondeu às preocupações do mercado de que a inflação no Brasil está atingindo níveis desconfortáveis, dizendo que a combinação de aperto fiscal e monetário levaria a taxa de inflação anual para o centro da meta do governo, de 4,5%.

Os investidores que são céticos sobre a capacidade do país de seguir com os cortes no orçamento ou conter a inflação só precisam olhar para os registros do país durante a última década, disse ela.

“O Brasil já mostrou que o país é capaz de fazer sua lição de casa.”

Miriam afirmou que uma decisão final sobre o tamanho do papel dos investidores privados na melhoria dos aeroportos brasileiros deverá ser tomada no primeiro semestre do ano.

A maior economia da América Latina está sob pressão para corrigir deficiências no seu programa de infraestrutura, que prevê US$ 1 trilhão em projetos de construção ao longo da próxima década.

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, advertiu na segunda-feira que o Brasil precisa acelerar os preparativos para sediar o Mundial de 2014. Miriam e o ministro do Esporte, Orlando Silva, disseram que o temor não tinha fundamento.

O próximo passo para o plano de melhoria dos aeroportos vai ser a publicação, no fim de março ou início de abril, dos termos da licitação para concessão do aeroporto de Natal (RN), ela disse.