Brasil é 4º pior em ranking de felicidade da OCDE

Brasil só vence México, Turquia e Chile no ranking que mede o bem estar e a felicidade da população. Mas houve leve melhora: país subiu da 34ª para 33ª posição este ano

São Paulo – O Brasil foi o quarto pior colocado e ficou na 33ª posição, de um total de 36, no ranking que mede bem-estar, progresso e felicidade da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE). A Austrália conquistou o pódio pelo terceiro ano seguido. O Brasil ficou a frente de Chile, Turquia e México.

No ano passado, o país havia conquistado o 34º lugar, mas passou o Chile e subiu na lista formada pelos 34 membros da OCDE, em sua maioria desenvolvidos, e dois parceiros: Brasil e Rússia.

Foram considerados 11 indicadores, incluindo os mais diretos, como educação, saúde, emprego, renda e meio ambiente (poluição e qualidade da água), aos mais subjetivos, como satisfação de vida, comunidade (ajudar amigos e estranhos em caso de necessidade) e engajamento cívico (confiança no poder público).

O estudo da OCDE parte do princípio de que apenas indicadores econômicos não medem a qualidade de vida da população. O objetivo declarado é ajudar os países a traçar políticas para o desenvolvimento.

A própria organização não divulga a posição de cada país, apenas as notas de cada indicador. A ideia é que cada pessoa possa montar sua ordem a partir do peso que der a cada critério

Veja na tabela abaixo os índices obtidos pelo Brasil com os devidos comentários da OCDE. Para comparação, estão também os dados da Austrália, a campeã.

O estudo completo pode ser acessado no site da organização.

Indicador Austrália Brasil Comentários do relatório
Habitação 7,5 3,9 Sem comentários
Renda 4,5 0 Menor que a média de US$ 23 mil por ano dos países da OCDE
Emprego 7,6 4,6 Mais de 68% das pessoas entre 15 e 64 anos têm emprego, maior que a média da OCDE de 66%, mas uma parcela maior cumpre jornadas muito longas
Comunidade 8,3 6,1 88% dos brasileiros conhecem alguém em quem se apoiar em caso de necessidade (90% na organização)
Educação 7,6 1,4 41% dos adultos brasileiros têm diploma de ensino médio, menor que a média de 74% da OCDE
Meio ambiente 8,7 6,5 Níveis de poluição são próximos, mas mais brasileiros reclamam de qualidade da água que os cidadãos da organização
Engajamento cívico 9,34 4,4 Vota-se mais no Brasil nas eleições (79%) do que nos países da OCDE (72%)
Saúde 9,3 4,7 Expectativa de vida brasileira, de 74 anos, é menor que os 80 anos da OCDE
Satisfação com a vida 8,1 6,3 Brasileiros são levemente mais satisfeitos (82%, contra 80 dos países da organização)
Segurança 9,5 2,7 Sem comentários
Equilíbrio vida pessoal/profissional 6,5 7,2 Sem comentários