Brasil, Bolívia e Peru definem plano para luta antidrogas

Grupo de trabalho de delegados dos três países deve elaborar plano incluindo operações conjuntas nas fronteiras

La Paz – Autoridades de Brasil, Bolívia e Peru definiram nesta quinta-feira, após reunião em La Paz, a elaboração de um plano para a luta contra o narcotráfico que inclua operações conjuntas nas fronteiras e troca de informações policiais e financeiras.

O anúncio foi feito pelo ministro do Governo boliviano, Carlos Romero, após a conclusão de uma reunião trilateral em que também estiveram presentes os ministros peruanos do Interior, Wilfredo Pedraza, e da Justiça, Eda Rivas, e a secretária da Justiça do Brasil, Márcia Pelegrini.

Romero explicou em entrevista coletiva que a elaboração do plano correrá por conta de um grupo de trabalho formado por delegados de “entidades públicas envolvidas com a luta contra o narcotráfico” nos três países.

O grupo terá três meses para elaborar “uma proposta de plano de ação” que leve em conta as linhas gerais abordadas em uma primeira reunião trilateral realizada em novembro passado em Lima e que foram repassadas hoje em La Paz.

O ministro boliviano assinalou que o plano deverá conter propostas para o controle “do espaço aéreo, terrestre, lacustre, ribeirinho e dos pontos de passagem fronteiriça”.

Também deverá propor ações de inteligência para a produção e a troca de informações policiais e financeiras, o que, segundo Romero, “facilitará ações muito mais contundentes nesta luta contra o narcotráfico”.

Em 60 dias, a comissão se reunirá para estudar concretamente a criação de um fundo comum para combater o narcotráfico, incluindo a procedência dos recursos econômicos que o abastecerão e como esse dinheiro será empregado.