Bolsonaro processa Jean Wyllys por calúnia e injúria, diz jornal

Em entrevista a jornal cearense, Wyllys se referiu a Bolsonaro como "fascista", "burro" e "ignorante"

São Paulo – O deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) entrou com uma queixa-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o também deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) por calúnia e injúria. O processo caiu nas mãos do ministro Celso de Mello.

EXAME tentou contato com as assessorias dos dois parlamentares, bem como com o advogado de Bolsonaro, mas ainda não obteve resposta.

Segundo informações do jornal O Globo, a ação se refere a uma entrevista concedida por Wyllys ao jornal cearense “O Povo”, na qual ele teria se referido a Bolsonaro, sem citá-lo nominalmente, como “fascista”, “racista”, “burro”, “corrupto”, “ignorante”, “desqualificado” e “canalha”.

Na entrevista, Jean Wyllys não fala o nome de Bolsonaro diretamente, mas cita o então partido do deputado, o PP, e diz que ele é conhecido como “mito”.

O jornal afirma que, na ação, a defesa de Bolsonaro pede que a imunidade parlamentar de Wyllys seja afastada, já que as declarações não têm relação com seu mandato como deputado.

Os advogados também pedem, ainda de acordo com o jornal, que a pena seja aumentada em um terço porque o crime teria sido cometido “na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria”.