Bolsonaro diz temer “novas Venezuelas” e Macri cita acordo com democracia

Na Argentina, o presidente do Brasil felicitou os argentinos por chegar a um acordo "iminente" entre a União Europeia (UE) e o Mercosul

Buenos Aires — O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quinta-feira (06), em Buenos Aires, que há uma preocupação na América do Sul com a possibilidade de surgirem “novas Venezuelas” na região e, ao lado de seu colega argentino, Mauricio Macri, fez um apelo para que os argentinos sejam mais racionais e menos emocionais ao votarem na eleição presidencial deste ano no país.

“Eu acho que toda a América do Sul está preocupada que não tenhamos novas Venezuelas na região. Devemos nos preocupar e tomar decisões concretas neste sentido”, disse Bolsonaro em declaração conjunta ao lado de Macri, que tentará a reeleição no pleito de outubro, quando terá como principal adversário Alberto Fernández, ex-chefe de gabinete da Presidência e que tem como candidata a vice a ex-presidente argentina Cristina Kirchner.

Bolsonaro já se manifestou publicamente contrário à volta de Cristina ao poder, afirmando que isso seria um retrocesso e que poderia transformar a Argentina em uma nova Venezuela, país que vive uma crise econômica, social e política sob comando de Nicolás Maduro.

“Conclamo ao povo argentino que Deus abençoe a todos eles, porque terão pela frente agora, mês de outubro, eleições. E todos têm que ter — assim como no Brasil grande parte teve — muita responsabilidade, muita razão e menos emoção para decidir o futuro desse país maravilhoso que é a Argentina”, disse Bolsonaro.

“Que Deus abençoe o povo argentino para esse momento que se aproxima, para que possa escolher o melhor, porque dessa forma teremos paz, teremos prosperidade e alegria entre os nossos povos”, acrescentou.

Democracia

Segundo Macri, durante a reunião o Brasil e a Argentina ratificaram “compromisso com a defesa de direitos humanos e o combate ao tráfico”.

“Também falamos do compromisso que temos com a democracia, nesse duro momento que estão vivendo os venezuelanos. Faremos todo o possível para ajudar a restabelecer a democracia”, disse.

Elogios ao acordo UE-Mercosul

Bolsonaro felicitou, ainda, a Argentina pelo trabalho realizado para chegar a um acordo “iminente” entre a União Europeia (UE) e o Mercosul.

“Estamos prestes a chegar a um acordo entre o Mercosul e a União Europeia, eu o felicito (Macri) pelo seu trabalho, pelo jeito que arregaçou as mangas e foi para o Brasil e trouxemos todos os ministros interessados em atingir esse objetivo, e que em grande parte devemos ao seu compromisso. Todos ganhamos com isso”, afirmou Bolsonaro.

Há duas décadas, a UE e o Mercosul iniciaram formalmente negociações para assinar um acordo comercial e, embora estas tenham permanecido estancadas durante anos, ambos blocos concordam em assinalar que nos últimos meses foram realizados mais progressos para concretizar o pacto do que em toda a década anterior.