Bolsonaro divulga vídeo elogiando Bebianno logo após demiti-lo

"Avalio que pode ter havido incompreensões e questões mal entendidas de parte a parte, não sendo adequados pré-julgamentos de qualquer natureza"

São Paulo – Circula nas redes sociais na noite desta segunda-feira (18) um vídeo pré-gravado no qual o presidente Jair Bolsonaro elogia o ministro Gustavo Bebianno, que acaba de ser exonerado.

“Desde a semana passada, diferentes pontos de vista sobre questões relevantes trouxeram a necessidade de uma reavaliação. Avalio que pode ter havido incompreensões e questões mal entendidas de parte a parte, não sendo adequados pré-julgamentos de qualquer natureza”, diz o presidente.

A maior crise do governo até agora se agravou após Bebianno dizer ao jornal O Globo que tinha conversado com o presidente em três momentos na última terça-feira (12), quando ele ainda estava no hospital.

No Twitter, Carlos Bolsonaro, vereador pelo Rio de Janeiro, disse que a versão era “uma mentira absoluta” e, em seguida, postou um áudio de uma conversa do presidente com seu ministro.

O teor das críticas foi reforçado pelo presidente, que repostou a mensagem do filho e chegou a chamar Bebianno de mentiroso.

No vídeo divulgado hoje, o presidente elogia a atuação de Bebianno tanto na coordenação de sua campanha quanto à frente da Secretaria-Geral da Presidência.

“Tenho que reconhecer a dedicação e comprometimento do senhor Gustavo Bebianno à frente da coordenação da campanha eleitoral em 2018. Seu trabalho foi importante para o nosso êxito. Agradeço ao senhor Gustavo pela esforço e empenho quando exerceu a direção nacional do PSL e continuo acreditando na sua seriedade e qualidade do seu trabalho. Reconheço também sua dedicação e esforço durante o período que esteve no governo”, completa Bolsonaro no vídeo .

Não há qualquer menção ao escândalo que disparou a crise. No domingo anterior, o jornal Folha de S.Paulo revelou um esquema envolvendo repasse de recursos públicos para uso de candidaturas laranjas no PSL. Bebianno era o presidente do partido na época dos repasses.