Curtas – uma seleção do mais importante no Brasil e no mundo

Bolsonaro: alta na quarta?; Novo aporte do Softbank; Guaidó negocia com FMI…

Empresa não tinha autorização

A empresa proprietária do helicóptero que caiu nesta segunda-feira, 11, em São Paulo, não tinha autorização para realizar transporte de passageiros remunerado. Em 2018, a RQ Helicópteros foi multada em R$ 8 mil por um processo aberto em 2011 pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O piloto Ronaldo Quattrucci, vítima da queda da aeronave ao lado do jornalista Ricardo Boechat, era sócio-proprietário da empresa, sediada em Santana de Parnaíba, na região metropolitana. Após a queda desta segunda-feira, a Anac abrirá um procedimento administrativo para “apurar o tipo de transporte que estava sendo realizado no momento do acidente”.

Bolsonaro: alta na quarta?

O presidente Jair Bolsonaro recebeu aval da equipe médica do hospital Albert Einstein para ter alta nesta quarta-feira, 13. A data de saída vai depender do Palácio do Planalto. Bolsonaro recebeu alta na manhã desta segunda-feira da unidade de terapia semi-intensiva, após melhora do quadro clínico, e está internado em apartamento, informou boletim médico divulgado ontem. O presidente não tem dor, nem febre e segue com melhora do quadro pulmonar. Na última semana, ele havia sido diagnosticado com pneumonia. Foi suspensa a nutrição parenteral (endovenosa) e introduzida dieta leve e mantido o suplemento nutricional.

Parlamentares e a Previdência

Uma pesquisa encomendada pelo BTG Pactual com deputados e senadores mostra que mais de três quintos deles concordam reformar a Previdência, o mínimo necessário para aprovar uma emenda constitucional nas duas casas. No entanto, a idade mínima, considerado o ponto mais importante por economistas especializados, conta com apoio insuficiente na proposta de 65 anos para homens e de 62 para mulheres, e menos ainda na que estabelece 65 para ambos os sexos. Vale ressaltar que o levantamento, produzido pela FSB Pesquisa, não ouviu todos os parlamentares. Foram 235 deputados, ou 45% dos 513 que compõem a Câmara, e 27 senadores, ou um terço dos 81. A amostra, contudo, é proporcional ao tamanho das bancadas partidárias nas duas casas.

Embaixadora venezuelana

O governo brasileiro anunciou nesta segunda-feira, 11, o reconhecimento de uma nova diplomata venezuelana no Brasil. Desde dezembro de 2017, quando o presidente Nicolás Maduro determinou a expulsão do embaixador brasileiro na venezuela, o cargo de embaixador venezuelano no Brasil estava vago. Depois da ascensão do líder de oposição Juan Guiadó ao cargo de presidente interino da Venezuela, posição que foi reconhecida pelo Brasil e diversos outros países mundo afora, hoje, a professora Maria Teresa Belandria  foi intitulada como a nova representante diplomática da Venezuela no Brasil a pedido do interino.

Guaidó negocia com FMI

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, negocia um programa de ajuda de 2 bilhões de dólares com o Fundo Monetário Internacional (FMI), com o objetivo de estancar a hiperinflação do país, estimada em 10.000.000% para este ano. Os recursos estariam disponíveis no primeiro dia do governo transitório, que ocorrerá oficialmente se o ditador Nicolás Maduro cair. A equipe ainda negocia mais 60 bilhões de dólares com a instituição, que seriam desembolsados ao longo de cinco anos. O valor da ajuda será integrada às reservas internacionais do país, atualmente de cerca de 8,1 bilhões de dólares.

Os exercícios de Maduro

Nicolás Maduro iniciou neste domingo 10 uma série de exercícios militares que se estenderão até sexta-feira 15, e aproveitou a ocasião para criticar seu homólogo dos Estados Unidos, Donald Trump. “Que Donald Trump não nos ameace. Fora Donald Trump da Venezuela, fora com suas ameaças, aqui há forças armadas e aqui há um povo para defender a honra, a dignidade e o decoro de uma pátria que tem mais de 200 anos de luta”, disse Maduro em um ato com militares no estado de Miranda, próximo a Caracas.

Novo shutdown?

A Casa Branca não descartou neste domingo, 10, a eventualidade de uma nova paralisação do governo – o chamado shutdown – caso nenhum acordo seja alcançado antes de 15 de fevereiro com os democratas sobre o financiamento do muro que o presidente Donald Trump quer construir na fronteira dos Estados Unidos com o México. “O shutdown do governo ainda está teoricamente sobre a mesa. Não queremos chegar a esse ponto, mas essa opção está sempre aberta para o presidente e continuará estando”, disse à emissora Fox News o novo chefe de gabinete interino da Casa Branca, Mick Mulvaney.

Softbank investe mais US$ 1 bilhão

O fundo de investimentos japonês SoftBank investirá quase 1 bilhão de dólares (cerca de 3,7 bilhões de reais) em uma startup de veículos de entrega por robôs, a Nuro. É a mais nova e ambiciosa aposta do Vision Fund, braço de investimentos do Softbank com 100 bilhões de dólares à disposição para investir em companhia de alta tecnologia. Fundada em na Califórnia, a Nuro é avaliada em 2,7 bilhões de dólares e aposta em carros elétricos feitos especialmente para entregas na cidade, em vez de robôs ou caminhões de longa distância.