BNDES na mira; Justiça contra Trump…

A semana em Brasília

O Congresso retoma hoje os trabalhos após as eleições dos novos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Eunício Oliveira (PMDB-CE). A expectativa é pelo ritmo dos trabalhos de reformas essenciais para o governo. A reforma da Previdência já passou pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara e agora passará por uma comissão específica, ainda a ser criada. Enquanto isso, há a expectativa da indicação do nome do novo ministro do Supremo Tribunal Federal, que pode sair ainda esta semana.

3 bi de condenados

Uma força-tarefa da Procuradoria-Geral da Fazenda e da Receita Federal vai cobrar 3 bilhões de reais de pessoas e empresas investigadas pela Lava-Jato, informa o jornal Folha de S. Paulo. É o montante estimado do Imposto de Renda sobre o patrimônio construído com dinheiro obtido de corrupção na Petrobras. Na primeira etapa, até março, serão cobrados 12 alvos da operação. O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco e sua mulher, Luciana Adriana Franco, terão de pagar 59,3 milhões de reais. Os próximos da lista são os ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa e Renato Duque.

O governo simplifica

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou ao jornal Folha de S. Paulo que a Receita está desenvolvendo um programa para reduzir o tempo que as empresas destinam para pagar impostos. O plano é que a medida reduza de 2.600 horas paras menos de 600 horas o tempo gasto pelas empresas entre preparar e pagar todo os tipos de tributos. O ministro afirmou ainda que pretende reduzir o tempo de registro de empresas – em cidades como São Paulo, segundo ele, o tempo vai cair de 101 para três dias.

Força-tarefa no BNDES?

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, estuda criar uma força-tarefa no Rio de Janeiro exclusivamente para apurar indícios de corrupção e lavagem de dinheiro em operações do BNDES, o banco nacional de fomento, segundo informa o jornal Valor. Há mais de uma dezena de investigações sobre o banco, incluindo uma que apura o suporto envolvimento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em vantagens indevidas obtidas pela Odebrecht entre 2008 e 2015 em obras fora do Brasil.

Nada de 70 anos

O Ministério dos Transportes desistiu de atender a proposta de empresários e aumentar o prazo de concessão de portos por até 70 anos para contratos antigos. O Ministério decidiu seguir a recomendação de técnicos da Casa Civil, que eram contra a prorrogação alegando falta de segurança jurídica.

Trump sem inocência

A relação entre Rússia e Estados Unidos deve ser mais amigável e próxima durante o governo de Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos reiterou neste domingo que “respeita” o presidente russo, Vladimir Putin, e convidou os que o qualificam de “assassino” a moderar essa opinião. “Eu o respeito, bem, eu respeito muita gente, mas isso não significa que vou me dar bem com eles”, disse Trump em uma entrevista transmitida no domingo pela Fox News antes do popular Super Bowl. “Mas é melhor se entender com a Rússia do que o contrário. E se a Rússia nos ajuda a combater o EI (grupo extremista Estado Islâmico) e o terrorismo islâmico ao redor do mundo, isso é uma coisa boa”, acrescentou. Questionado sobre os supostos vínculos de Putin com a morte de jornalistas e dissidentes, Trump afirmou: “você acha que o nosso país é tão inocente?”.

Justiça contra Trump

A Justiça americana suspendeu ontem, em caráter provisório, a medida de Donald Trump que proíbe a entrada de cidadãos de sete países. A corte de apelação reiterou uma decisão de um juiz de Seatle e negou o pedido do governo para que a nova lei volte a vigorar. Trump disse que a decisão abre as portas dos Estados Unidos para terroristas, e que irá até a Suprema Corte se for necessário. Enquanto isso, cidadãos dos países bloqueados estão entrando normalmente no país.

Le Pen em campanha

A líder da extrema direita na França, Marine Le Pen, lançou sua candidatura neste domingo, em Lyon. Ela foi recebida com gritos de “esse é nosso país”. Le Pen prometeu um referendo sobre a permanência na União Europeia, que, segundo ela, é um entrave à prosperidade e à segurança da França. Como esperado, criticou imigrantes e prometeu restabelecer os valores franceses. Seu partido, o Frente Nacional, teve 6 milhões de votos nas eleições regionais de 2015, um recorde. Ela lidera as pesquisas, com 26% das intenções de voto.

Superbowl histórico

O New England Patriots venceu na noite de ontem o Atlanta Falcons em um dos Superbowls mais emocionantes da história. A partida, que marca a final do campeonato de futebol americano, é o evento esportivo com a maior receita do planeta. Depois de estar perdendo por 28 a 3, o Patriots, comandado pelo quarterback Tom Brady, marcou 19 pontos no último quarto e levou o jogo para a prorrogação – a primeira da história do evento iniciado em 1960. Brady, marido da modelo Gisele Bundchen, se consagrou como o primeiro quarterback com cinco vitórias no Superbowl.