Blog ao vivo: PM do Rio anuncia greve; na Bahia, movimento continua

Apesar da greve no Rio, polícia informa que serviços à população não foram interrompidos

A cobertura ao vivo deste blog foi encerrada às 00h10. Leia mais sobre a greve da Policia Militar no Rio e na Bahia.

00h00 Governo garante ajuda para Estados onde PM faz greve. O governo federal tem planos de contingência, com mais de 20 mil homens de prontidão, para mandar ajuda a qualquer estado que recorra à União para garantir a lei e a ordem pública devido à onda de greves de policiais militares que ameaça se expandir pelo País. A cargo dos Ministérios da Defesa e da Justiça, os planos incluem efetivos das Forças Armadas, Polícia Federal e Força Nacional de Segurança Pública.

(Christophe Simon/AFP)

21h00   Grevistas e estado travam guerra de versões. Grevistas e autoridades de segurança do Rio travam, no primeiro dia de paralisação parcial de policiais e bombeiros, uma guerra de versões sobre a adesão ao movimento e os efeitos para a população. O movimento caminha mais para um “estado de greve” do que para um embate público, como ocorreu na desastrosa greve de Salvador.

18h50  Paralisação perde força na Bahia. O governo baiano começou a punir os policiais militares que promovem, desde o dia 31, uma paralisação no Estado. De acordo com a administração estadual, quem não compareceu aos batalhões até o meio-dia de hoje (sexta-feira) vai passar a sofrer sanções.

(Marcello Casal Jr/ABr)

18h30 Policiais grevistas são presos e PM garante que Rio está seguro. Líderes e outros envolvidos no movimento grevista de policiais e bombeiros no Rio de Janeiro foram presos nesta sexta-feira acusados de insubordinação e outros crimes, e as autoridades de segurança do Estado garantiram que, diante da adesão limitada à paralisação, não será necessário o reforço de tropas federais.

17h55 Mais de 150 PMs são presos no Rio por transgressões  – Dos 11 mandados de prisão expedidos contra líderes grevistas da corporação, nove foram cumpridos até o momento.

(Wilson Dias/ABr)

15h05 Ministro da Justiça diz que greve na Bahia vai terminar hoje – O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que muitos policiais militares que aderiram à greve na Bahia já voltaram a trabalhar. De acordo com Cardozo, a tendência é que o movimento grevista termine até o fim do dia. Sobre a paralisação no Rio, o ministro disse que a situação é de uma “greve não muito mobilizada”, e que há tranquilidade na cidade.

14h55 Governo do Rio endurece regras para julgar policiais e bombeiros – O governo do estado do Rio divulgou nota informando que alterou a legislação que estabelece prazos para julgamento de policiais militares e bombeiros. Com isso, encurta-se o prazo para julgar e punir todos os que cometem infrações. 

13h15 Comandante da PM da Bahia diz que fim da greve está próximo – O coronel Alfredo Castro, comandante da Polícia Militar da Bahia, afirmou que, para ele, o fim da greve está decretado. Segundo ele, há uma tendência de volta à normalidade, e 85% do efetivo já voltou ao trabalho. Os grevistas farão assembleia na tarde de hoje para decidir se continuarão com o movimento. 

12h25 Dilma reitera oferta de ajuda ao Rio com tropas – Por telefone, a presidente Dilma Rousseff ofereceu ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), o envio de tropas federais para garantir a segurança no estado após a declaração de greve da polícia, bombeiros e agentes penitenciários a partir da meia-noite de quinta-feira.

(Haroldo Abrantes/SECOM)

11h38 Justiça Militar pede prisão de 11 líderes grevistas no Rio – A Justiça Militar expediu hoje 11 mandados de prisão contra líderes da greve de policiais militares que começou ontem no Rio de Janeiro. O porta-voz da PM, coronel Frederico Caldas, disse que os serviços estão mantidos e os comandantes estão presentes em todas as unidades. Os grevistas pedem a liberação do cabo Benvenuto Daciolo, preso anteontem acusado de crime militar.

10h43 Oficiais da PM decidem não aderir à greve na Bahia – No 11º dia de greve dos policiais militares na Bahia, os oficiais decidiram não aderir ao movimento iniciado pelos praças. A decisão foi pensada tendo em vista a proximidade do Carnaval

(Marcello Casal Jr./ABr)

10h20 Mesmo com greve no Rio, serviços à população não serão interrompidos –  Apesar da greve decidida na noite de ontem, os policiais e bombeiros do Rio de Janeiro informaram que a situação é tranquila na cidade, e que os serviços à população não foram interrompidos. Segundo os grevistas, 30% do efetivo do Corpo de Bombeiros e da Polícia Civil atenderão casos de emergência. Policiais Militares ficarão nos quarteis, mas não atenderão ocorrências.

Veja os principais lances da cobertura de ontem da greve na Bahia e a movimentação no Rio