Bernardo livre; Gol afunda…

Paulo Bernardo livre

O ministro Dias Toffoli, do Supremo, revogou a prisão do ex-ministro Paulo Bernardo, que havia sido detido preventivamente na operação Custo Brasil, da Polícia Federal de São Paulo, na quinta-feira. Ele entendeu que não há indícios “concretos” de que Bernardo tentará fugir. Por isso, não há risco de novos crimes. O ministro do STF também comparou o uso de prisões preventivas na Lava-Jato com o mensalão alegando que naquela investigação não “houve decretação de prisões provisórias, e todos os réus ao final condenados e estão cumprindo ou já cumpriram as penas fixadas”.

O benfeitor

O presidente interino Michel Temer anunciou nesta quarta-feira um reajuste de 12,5% dos benefícios do programa Bolsa Família. Em maio, Dilma Rousseff havia prometido um ajuste de 9%. Segundo o governo, a elevação da taxa será coberta com o descontingenciamento de recursos do Ministério do Desenvolvimento Social. O impacto mensal da medida é de 270 milhões de reais. À noite, com aval do Planalto, o Senado aprovou aumento de 41% para servidores do Judiciário e do Ministério Público, que devem custar 28 bilhões de reais até 2019. PSDB e DEM criticaram as medidas.

Vaquinha para viajar

A presidente afastada Dilma Rousseff iniciou na manhã desta quarta-feira uma campanha digital para arrecadar fundos para bancar suas viagens em voos com aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). Por volta das 19h, já haviam sido arrecadados cerca de 100.000 reais. A meta é juntar 500.000 reais. A campanha acontece depois de uma decisão judicial que permitiu que a petista usasse os aviões da FAB para se deslocar pelo país desde que arcasse com os custos da viagem. A presidente deve viajar nesta quinta-feira para Belém, no Pará, para denunciar o governo de Temer.

Renan com apetite

O presidente do Senado, Renan Calheiros, quer concluir a votação do projeto que legaliza os jogos de azar no país até o próximo dia 13. O texto autoriza o funcionamento de bingos e cassinos, além de legalizar jogos eletrônicos e o jogo do bicho. O Ministério Público Federal criticou duramente o projeto, considerando que ele pode aumentar a lavagem de dinheiro. Além disso, Renan também quer encerrar a discussão sobre o projeto de revisão da Lei de Licitações.

A contundência de Cunha

O relator do recurso que pede a anulação processo de cassação de  Eduardo Cunha na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Ronaldo Fonseca, afirmou nesta quarta-feira que não vai “jogar no lixo” o trabalho do Conselho de Ética, que pediu o fim do mandato de Cunha, mas que a argumentação da defesa de Cunha tem três pontos contundentes. Um deles seria a impossibilidade de atuação do relator da cassação, Marcos Rogério, por ter trocado o PDT por um partido que apoiou a eleição do peemedebista.

_

O baque da Gol

As ações da companhia aérea Gol desabaram 7,3% nesta quarta-feira. A queda aconteceu após a notícia de que o governo manterá a participação de capital estrangeiro nas empresas do setor em até 20%. O aumento de participação para 100% era o principal ponto da Medida Provisória 714, em votação no Senado nesta quarta. Mas o governo percebeu que iria perder a votação se não abrisse mão da questão. Segundo o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, o governo não quis perder a MP porque ela trata de outros pontos para ajudar a reestruturar a Infraero. Com isso, MichelTemer se comprometeu a vetar a parte da MP que aumenta a participação das estrangeiras em 100% e agora vai tentar discutir a questão em um novo projeto de lei.

_

Hypermarcas afunda

As ações do grupo de produtos farmacêuticos Hypermarcas tiveram perdas pelo segundo dia consecutivo. Os papéis caíram 14% e já acumulam perdas de 21% em dois dias. Após as notícias sobre a delação de seu ex-diretor de Relações Institucionais, Nelson Mello, o jornal O Estado de S. Paulo revelou que seu principal acionista, João Alves Queiroz Filho, está na mira da Procuradoria-Geral da República após ser citado na Operação Lava-Jato. Segundo o jornal, os investigadores querem descobrir o motivo dos pagamentos efetuados por uma empresa de Queiroz Filho à JD Consultoria, empresa do ex-ministro José Dirceu.

_

A meta de 2017

De acordo com o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, a meta fiscal de 2017 deve ser de um déficit superior a 100 bilhões de reais. Oliveira disse que o número ainda está sob discussão “aprofundada” e que o governo está fazendo uma revisão das políticas públicas federais. Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, afirmou mais cedo que é muito improvável que a meta seja de um superávit, mesmo com os cortes do governo. “Depois de um déficit de 170 bilhões, uma virada tão forte seria muito irrealista”, disse.

_

Recorde de desempregados

Os últimos números da Pnad Contínua, divulgada hoje pelo IBGE, mostram a taxa de desocupação no Brasil se manteve inalterada, em 11,2%, no trimestre de março a maio, frente ao trimestre ao anterior. É a primeira vez em 17 trimestres móveis consecutivos que a taxa de desemprego não cresceu. O resultado está dentro do esperado por analistas. No mesmo período do ano passado, a taxa de desemprego era de 8,1%. Em números reais, o número de desempregados é de 11,4 milhões de pessoas.

Ponto para o NAFTA

Em meio às discussões nacionalistas causadas pelo Brexit e pelos discursos de Donald Trump, os presidentes de Canadá, México e Estados Unidos reiteraram nesta quarta-feira que irão defender o Nafta, o bloco de livre-comércio da América do Norte, e trabalhar para “facilitar o comércio entre os três países”, nas palavras de Barack Obama. O presidente americano, Justin Trudeau e Enrique Peña Nieto se reuniram nesta quarta-feira na cidade canadense de Ottawa para o tradicional “Encontro dos Três Amigos”.

Trump contra os blocos 

O aceno à cooperação dos líderes da América do Norte vem um dia depois de o candidato republicano Donald Trump elogiar novamente a decisão britânica de se retirar da União Europeia e se pronunciar fortemente contra o NAFTA, que chamou de “matador de empregos”. A declaração contra o livre-comércio fez a Câmara de Comércio Americana – maior associação empresarial do país e tradicionalmente apoiadora dos republicanos – rotular as propostas de Trump como “perigosas”. O candidato disse que as grandes empresas precisam “lutar mais” pelos trabalhadores americanos.

Escócia “decidida” a ficar na UE

Em visita a Bruxelas nesta quarta-feira, a primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, reforçou que o país está “determinado a ficar na União Europeia”, apesar do Brexit. A chanceler escocesa se encontrou com o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz. Líderes do país já afirmaram que apoiam a realização de um novo referendo para decidir sobre a permanência da Escócia no Reino Unido – em consulta semelhante em 2014, o benefício de estar na União Europeia foi o principal motivo para a permanência dos escoceses.