Base aliada deu anistia a crime de Dilma, diz Aécio

"Infelizmente, o que nós assistimos aqui foi a base de apoio da presidente da República dando a ela uma anistia para um crime que foi cometido", disse tucano

Brasília – O senador Aécio Neves (PSDB-MG) criticou nesta terça-feira, 9, a aprovação da lei que flexibiliza a meta fiscal do governo em 2014.

Para o tucano, a mudança foi feita para “anistiar” a presidente Dilma Rousseff.

“Infelizmente, o que nós assistimos aqui foi a base de apoio da presidente da República dando a ela uma anistia para um crime que foi cometido”, disse.

Para Aécio, a mudança na Lei de Diretrizes Orçamentária afugenta o investimento e desaquece a economia.

O parlamentar avaliou que a aprovação do texto abre precedente para que o Executivo passe a desrespeitar metas.

“O governo já anunciou o superávit para 2015. Quem garante que esse superávit será cumprido? O governo estabelece agora um novo padrão: Quando a lei não é cumprida, quando as metas não são alcançadas, muda-se a lei e muda-se as metas”, afirmou Aécio.