Barros pode deixar cargo temporariamente para votar na Câmara

A saída temporária do cargo de ministro da Saúde ocorreria para que ele vote pela rejeição da denúncia contra o presidente

Brasília – O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse nesta quinta-feira, 13, que poderá sair do cargo de forma temporária para votar pela rejeição da denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados.

“Represento o PP no ministério. Farei o que for definido pela bancada e pelo presidente.”

Barros afirmou que a base do governo está pronta, mas cabe à oposição a responsabilidade de se apresentar para votar a matéria. “Se a oposição deseja tanto afastar o presidente, que compareça em plenário hoje à noite, amanhã”, disse.

“A responsabilidade agora para apresentar-se para votar a matéria é da oposição. A base do governo está pronta para votar o quanto antes porque o Brasil precisa de trabalho, andar para frente.”

O ministro disse haver no País um movimento corporativista “exacerbado”, liderado por categorias muito privilegiadas, como Ministério Público e Judiciário. “Eles que ganham o salário teto não querem a Reforma da Previdência.”