Barbosa e professor da UERJ defenderão Dilma em impeachment

Pelo cronograma, nesta quarta-feira (30), serão ouvidos dois dos três autores do pedido de impeachment com base nas "pedaladas fiscais"

Brasília – O vice-líder do governo na Câmara, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), indicou na manhã desta terça-feira, 29, os dois nomes que defenderão o governo na comissão do impeachment.

O petista anunciou que poderão vir ao colegiado o ministro Nelson Barbosa (Fazenda) e o professor de Direito Tributário da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Ricardo Lodi Ribeiro.

Pelo cronograma apresentado, nesta quarta-feira (30), serão ouvidos dois dos três autores do pedido de impeachment com base nas “pedaladas fiscais”, os juristas Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal. No dia seguinte serão ouvidos os indicados pelo governo.

Líderes partidários da Câmara dos Deputados decidiram mais cedo que a comissão especial ouvirá nesta semana dois representantes da defesa e dois da acusação para formular o relatório de admissibilidade da denúncia contra a presidente Dilma Rousseff.

Ao todo, foram protocolados 67 requerimentos, entre convites, solicitação de documentos e convocações. As oitivas acordadas hoje serão submetidas à votação ainda hoje.

Teixeira chegou a sugerir que as oitivas acontecessem após o fim do prazo de 10 sessões para apresentação da defesa de Dilma, mas seu apelo foi ignorado. O prazo da defesa terminará na próxima segunda-feira, dia 4 de abril.