Bancada do PT irá à Justiça contra Moro sobre grampo

Deputado federal e ex-presidente da OAB-RJ Wadih Damous disse que o vazamento da conversa foi "seletivo" e "criminoso"

Brasília – O deputado federal Wadih Damous (PT-RJ) afirmou nesta quarta-feira, 16, que a bancada do PT vai adotar “medidas legais e judiciais” contra o juiz federal Sérgio Moro, pelo fato de o magistrado ter autorizado a divulgação de conversa telefônica entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Nas gravações divulgadas hoje, a presidente demonstra que nomeou o petista para a Casa Civil para que ele passasse a ter foro privilegiado e, assim, deixasse a primeira instância e fosse julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Para Wadih Damous, que é advogado e ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Rio de Janeiro, o “vazamento” da conversa foi “seletivo” e “criminoso”.

“Ele (Moro) não tem o direito de bisbilhotar. E mesmo se tivesse encontrado uma ilicitude, algum crime na conversa, o que ele diz que não encontrou, deveria ter remetido os autos para o Supremo Tribunal Federal, pois a presidente Dilma estava na conversa e possui foro privilegiado”, afirmou.

Para o petista, “os meios não justificam o fim”.