Aviação Civil Internacional recomenda prevenção a zika

O zika provoca na maioria das vezes sintomas semelhantes a uma gripe leve, com casos de febre e dores de cabeça

A Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) recomendou nesta quinta-feira reforçar as medidas preventivas nos aeroportos e aeronaves para apoiar o trabalho de prevenção da propagação do zika vírus.

A agência, com sede em Montreal, incentivou em comunicado as companhias aéreas a seguirem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o uso de inseticidas para a desinfecção de cabines de aeronaves.

No texto, observou que “os vários atores do setor aéreo vão continuar compartilhando informações e recursos para ajudar a controlar” a propagação do vírus, que tem se expandido nos últimos meses por vários países da América do Sul – infectando mais de 1,5 milhão de pessoas, especialmente no Brasil e na Colômbia.

A OACI disse que também é importante reforçar o controle nos aeroportos dos vetores dos mosquitos Aedes aegypti, que transmitem o vírus.

O zika provoca na maioria das vezes sintomas semelhantes a uma gripe leve, com casos de febre e dores de cabeça.

As autoridades brasileiras também estão investigando a relação entre o aumento dos casos de infecção com este vírus entre as mulheres grávidas com um aumento anormal do número de bebês nascidos com microcefalia, especialmente nas regiões do nordeste do país.