Atividade econômica da saúde gerou R$ 173,3 bilhões

Volume movimentado em 2009 representou um crescimento de 2,7% em relação ao ano anterior

Rio de Janeiro – As atividades econômicas relacionadas à saúde no Brasil geraram, em 2009, R$ 173,3 bilhões. Embora o volume represente um crescimento de 2,7% em relação ao ano anterior, houve diminuição no ritmo de expansão. Em 2008, a renda gerada por essas atividades havia totalizado R$ 154 bilhões, com aumento de 5,9% em relação a 2007.

Os dados, divulgados hoje (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), fazem parte da pesquisa Conta Satélite de Saúde.

O setor de saúde pública foi o que apresentou a maior geração de renda, 33,8% do total; seguido por outras atividades relacionadas com atenção à saúde – categoria que inclui clínicas privadas, ambulatórios, centros de diagnósticos, entre outros – com 19,9%; e pelo comércio de produtos farmacêuticos, ortopédicos e odontológicos (12,7%).

Ainda de acordo com o estudo, a participação das atividades de saúde no total de renda gerada na economia brasileira em 2009 foi de 6,2%, pouco mais do que os 6% observados um ano antes.