Assédio de brasileiros a mulher na Rússia gerou 74 tuítes por minuto

Apesar de elevada taxa de rejeição à atitude do grupo, há também postagens que relativizam repercussão do caso

São Paulo – Em quatro dias, o vídeo de um grupo de brasileiros insultando uma estrangeira durante a Copa do Mundo na Rússia mobilizou 134,3 mil postagens no Twitter. Só na noite de terça-feira (19), quando houve um pico de posts, foram 74 tuítes por minuto, segundo relatório do DAPP/FGV divulgado hoje.

Durante esse pico, as publicações se dividiam em três principais frentes: um sentimento de vergonha de ser brasileiro, a divulgação de informações pessoais dos brasileiros identificados no vídeo e críticas à justificativa de que esses homens seriam “infantis” ou “imaturos” sob o argumento de que essa visão amenizaria o comportamento machista.

Do total de mensagens, 6,8 mil caracterizaram o episódio como racista devido à referência à cor da genitália da mulher. Segundo o estudo, as hashtags #machistasnacopa e #nãopassarão foram as mais usadas em todo debate e, juntas, somam 5,4 mil tuítes.

Apesar das críticas ao episódio dominarem o debate, há também posts que relativizam a atitude do grupo que aparece no vídeo. A postagem desse teor com maior repercussão questiona, por exemplo, a atenção dada ao caso e congrega 1,9 mil compartilhamentos.

Nesta quinta (21), o Ministério Público Federal do Distrito Federal (MPF-DF) abriu inquérito criminal para investigar o grupo de brasileiros. A instauração da investigação foi determinada com base nos artigos 1, 3 e outros da Convenção Internacional sobre Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra a Mulher.

Um dos homens que aparece no vídeo, o engenheiro Felipe Wilson,  foi demitido nesta quarta-feira (20) da Latam Airlines, onde trabalhava no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos (SP). A Polícia Militar de Santa Catarina também abriu um processo administrativo disciplinar contra um tenente reconhecido entre os torcedores.

Ontem, a Ordem dos Advogados do Brasil de Pernambuco (OAB-PE) divulgou uma nota de repúdio ao grupo. Entre os homens que participaram da filmagem, de acordo com a nota, está o advogado Diego Valença Jatobá, que já foi secretário de turismo em Ipojuca (PE) e está regularmente inscrito na OAB-PE.

Nesta quarta (20), o ministro do Esporte, Leandro Cruz da Silva, afirmou que a atitude envergonha o país e que merece todas as reprimendas possíveis.