As investigações que cercam Lula na Lava Jato

Ex-presidente é alvo de diversas linhas de investigação na Lava Jato e também é réu na Justiça sob a acusação de que teria tentado obstruir a operação

São Paulo – Em denúncia do Ministério Público Federal (MPF) nesta quarta-feira (14), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi apontado como o “comandante máximo do esquema de corrupção” no suposto esquema de cartel e propinas na Petrobras.

Os procuradores afirmam que o ex-presidente recebeu vantagens indevidas referentes à reforma de um tríplex em Guarujá (SP) feita pela empreiteira OAS como compensação por ações de Lula no esquema de corrupção da estatal.

No entanto, além dessa denúncia, ele ainda é alvo de outras linhas de investigação na Lava Jato e também é réu na Justiça sob a acusação de que teria atuado para obstruir o andamento da operação.

Saiba quais são as investigações contra Lula na Lava Jato:

1. Caso do Tríplex:

Segundo o MPF, Lula teria recebido propina da ordem de 3,7 milhões de reais em contratos da OAS com duas refinarias da Petrobras. Parte desse valor, segundo os procuradores, está relacionada ao caso do tríplex em Guarujá: R$ 1,1 milhão destinados à compra do apartamento, R$ 926 mil para a reforma e o restante para compra de móveis, eletrodomésticos, transporte e armazenamento de bens.

2. Sítio em Atibaia: 

Em outro processo, que corre em paralelo, Lula responde por suspeita de posse de um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. Laudo da Polícia Federal sugere que o ex-presidente e sua esposa, Marisa Letícia, teriam reformado a cozinha do sítio por meio da empreiteira OAS como resultado de suposto pagamento de vantagens indevidas.

3. Supostos repasses à LILS:

Inquérito da Lava Jato busca destrinchar os ganhos da LILS Palestras e o Instituto Lula, que, entre 2011 e 2014, teriam recebido R$ 30 milhões repassados, em boa parte, por empreiteiras com participação já comprovada no âmbito da operação.

4. Réu por obstrução da Lava Jato:

Lula é acusado de participar do esquema para comprar por R$ 250 mil o silêncio do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró nas investigações da Lava Jato. Além dele, o senador cassado Delcídio do Amaral e outras cinco pessoas teriam atuado na manobra.

Em delação premiada, o ex-senador afirmou que a tentativa de manter Cerveró calado sobre os desvios de recursos na Petrobras teria sido encabeçada pelo ex-presidente.

5. Inquérito apura obstrução da Justiça por Dilma e Lula:

Em agosto, o ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki determinou a abertura de inquérito para investigar Dilma, Lula e os ex-ministros Aloizio Mercadante e José Eduardo Cardozo por crime de obstrução da Justiça.

O pedido de abertura do inquérito, feito pela Procuradoria Geral da República, cita como fatos suspeitos a nomeação de Lula como ministro da Casa Civil e a nomeação do ministro Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ) por Dilma.

De acordo com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, as interceptações telefônicas de conversas entre Lula e Dilma, em que eles falavam sobre a entrega do termo de posse do ex-presidente como ministro, são indícios da suposta tentativa de obstruir as investigações. A gravação, no entanto, foi anulada por Zavascki.

Veja mais: Lula é acusado de comandar esquema que desviou R$ 87,6 mi