Aprovação mais rápida de pesticidas não prejudica ambiente, diz ministra

Rebatendo críticas de ambientalistas, Tereza Cristina afirmou que a agilidade nas aprovações significam mais tecnologia à disposição do campo

São Paulo — A ministra da Agricultura do Brasil, Tereza Cristina, disse nesta segunda-feira que a recente aceleração pelo governo de aprovações de pesticidas não é prejudicial para a segurança alimentar, nem para o meio ambiente, em resposta a críticas de ambientalistas.

Em evento em São Paulo, a ministra elogiou esforços de produtores rurais para a preservação de terras e disse que as aprovações mais rápidas dos defensivos agrícolas no país significam mais tecnologia à disposição do campo.

Etanol

O governo brasileiro ainda tem que decidir se renovará uma cota sem tarifa para importações de etanol, o que beneficiaria os Estados Unidos, disse a ministra da Agricultura, Tereza Cristina.

A ministra  disse a jornalistas que qualquer liberalização comercial para etanol entre Brasil e EUA precisaria ser “gradual”, para não afetar a indústria local.

O Brasil taxa importações de etanol em 20% quando as compras superam 150 milhões de litros por trimestre.

A cota livre de tarifa vence ao final deste mês, mas poderia ser renovada.

Uma decisão sobre o assunto teria impacto nas negociações com os Estados Unidos, que são praticamente os únicos a exportarem aos brasileiros.