Após reclusão, Aécio retoma agenda pública

Senador cancelou diversos eventos após denúncias sobre a construção de um aeroporto em um terreno de familiar

São Paulo – Após quase uma semana sem participar de eventos públicos, o senador Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência, vai retomar, nesta sexta-feira, 25, sua agenda de campanha na favela do Vidigal, no Rio.

O tucano cancelou diversas agendas desde o domingo, 20, quando o jornal Folha de S.Paulo publicou uma reportagem sobre a construção de um aeroporto em um terreno que pertenceu ao tio-avô de Aécio, Múcio Guimarães Tolentino.

Ontem, o jornal O Estado revelou que o local já havia recebido dinheiro do governo de Minas também em 1983, quando o governador era Tancredo Neves, avô de Aécio – na época, o Estado mineiro pagou a construção de uma pista de terra para pousos e decolagens no local.

Nos últimos cinco dias, o candidato participou de apenas um evento, em Minas. Na terça-feira, 22, reuniu-se no comitê com pessoas com deficiência e na sequência fez uma declaração à imprensa, mas não respondeu às perguntas dos jornalistas.

Ontem, Aécio era esperado no “Ano Profético”, principal atividade da igreja evangélica Sara Nossa Terra, mas viajou para o Rio e enviou seu candidato a vice, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), para representá-lo.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição, e o ex-governador José Serra (PSDB), que disputa o Senado, participaram do ato.

Aécio tem feito sua defesa por meio das redes sociais e por notas divulgadas no site da campanha.

Ele alega que o terreno onde está o aeroporto foi desapropriado e classifica como ação “puramente eleitoreira” o pedido do PT para que o procurador-geral da República apure prática de ato de improbidade administrativa em sua gestão no governo mineiro.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.