Após desabamento, prefeitura de SP inicia vistoria em 70 edifícios

ÀS SETE - Na primeira movimentação após o incêndio no Wilton Paes de Almeida, os prédios foram ranqueados pela administração de Bruno Covas

A Prefeitura de São Paulo inicia nesta segunda-feira uma ação de prevenção a acidentes em edifícios ocupados da capital. É a primeira providência de impacto após o incêndio no Wilton Paes de Almeida, na madrugada do dia 1º de maio. Serão feitas vistorias em 70 prédios, que foram ranqueados pela administração de Bruno Covas (PSDB) por grau de risco.

Às Sete – um guia rápido para começar seu dia

Leia também estas outras notícias da seção Às Sete e comece o dia bem informado:

Uma ação semelhante não acontecia na cidade há quase 17 anos. Secretarias foram mobilizadas para verificar a característica de ligações elétricas e presença de material inflamável no interior dos edifícios.

O relatório dividirá as ocupações em quatro níveis de ameaça de acidente: muito alto, alto, médio e baixo. O prazo estabelecido para o fim dos trabalhos é de 45 dias e as mais críticas podem ser interditadas imediatamente.

“Começaremos as vistorias por aqueles que apresentam situação mais perigosa e, ao concluirmos os 70 prédios, podemos continuar o trabalho em outros imóveis que julgarmos necessário”, disse o secretário de segurança pública do município, coronel José Roberto Marques, ao jornal O Estado de S. Paulo.

Enquanto isso, completa uma semana a tragédia no Wilton Paes de Almeida, onde os trabalhos de resgate continuam. O Corpo de Bombeiros ainda busca cinco desaparecidos nos escombros do prédio. Também nesta semana, 178 famílias envolvidas no desabamento passam a receber auxílio-moradia da Prefeitura.