Apoio de brasileiros à democracia nunca foi tão forte, revela Datafolha

Eleitorado de Bolsonaro é o que mais aprova uma ditadura, com 22% dos votos; entre o de Haddad e Ciro, percentual cai para 6% e 5%, respectivamente

São Paulo — Nunca antes na história democrática do Brasil, os eleitores prezaram tanto pela manutenção da democracia.

A dois dias da sétima eleição presidencial, desde o fim efetivo da ditadura militar, em 1988, sete em cada dez brasileiros (69%) afirmara que consideram o regime democrático a melhor forma de governo.

O dado foi revelado em um levantamento do Datafolha, divulgado nesta sexta-feira (5), que comparou a preferência dos entrevistados em relação a um regime ditatorial ou democrático.

O resultado, inédito segundo o instituto de pesquisa, subiu 12 pontos percentuais em relação a última pesquisa sobre o tema, de junho deste ano. Na ocasião, 57% preferiam a democracia.

Esta nova pesquisa revelou ainda que 12% dos entrevistados acreditam que, em certas circunstâncias, é melhor uma ditadura do que a democracia. Outra parcela, de 13%, não tem preferência para nenhum dos sistemas políticos. Outros 5% preferiram não opinar sobre o tema.

Eleitorado se difere

O Datafolha trouxe ainda um recorte entre os eleitores de cada presidenciável que estão concorrendo no pleito deste ano.

Os simpatizantes de Jair Bolsonaro (PSL) se mostraram os mais favoráveis a um regime autoritário. Ao todo, 22% do eleitorado pesselista afirmaram que, em algumas situações, essa forma de governo é preferível.

Já entre a parcela de eleitores de Fernando Haddad (PT), o índice cai para 6%. Entre os favoráveis a Ciro Gomes (PDT), o percentual é de 5%.

Resultado histórico

Segundo o levantamento, a parcela que defende o regime democrático bateu recorde. A primeira vez que a questão foi aplicada, em setembro de 1989, apenas 43% dos eleitores viam a democracia como um sistema de governo melhor do que os demais.

Naquela época, 22% avaliavam que tanto fazia se o governo era uma democracia ou uma ditadura.  além de 18% que consideravam, em certas circunstâncias, ditaduras melhores que democracias.

O levantamento foi realizado nos dias 03 e 04 de outubro de 2018, e o Datafolha entrevistou 10.930 pessoas em 389 municípios. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

O nível de confiança de 95%. Isto significa que, considerando a margem de erro, a chance do resultado retratar a realidade é de 95%.